quinta-feira, 18 de setembro de 2014

‘Estou tomando ciência’, diz secretário em meio a caos de sistema carcerário

Marcos Affonso assumiu Secretaria de Administração Penitenciária do MA.
Algumas transferências de detentos foram realizadas, diz secretário.

Do G1 MA

Secretário Marcos Afonso, durante entrevista coletiva (Foto: Lenno Edroaldo/G1) 
Secretário Marcos Afonso, durante entrevista
coletiva (Foto: Lenno Edroaldo/G1)
 
Em um rápido pronunciamento realizado minutos após assumir interinamente a Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap-MA), o delegado Marcos Affonso Júnior disse ainda não saber completamente do funcionamento da pasta que acabara de assumir. O novo gestor evitou falar sobre a fuga de 13 detentos do Presídio São Luís I, registrada na madrugada desta quarta-feira (17), da tentativa de fuga Casa de Detenção (Cadet), e da saída de Sebastião Uchoa do comando da Sejap. A saída de Uchoa do comando da pasta foi oficilizada por meio de nota emitida pelo governo do estado, após os problemas de segurança ocorridos nesta manhã. “Estou tomando ciência agora”, afirmou o novo secretário.

Desde outubro do ano passado, o governo do Maranhão decretou estado de emergência no sistema carcerário, após uma rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas que deixou 10 detentos mortos. Somente na Casa de Detenção (Cadet), uma das sete unidades do complexo - presídio feminino, Centro de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), Presídios São Luís I e II, Triagem, e Centro de Detenção Provisória (CDP) -, nos últimos 11 meses, 10 detentos morreram no local e pelo menos 20 ficaram feridos após briga entre facções criminosas.


Na última quarta-feira (10), quatro homens armados roubaram uma caçamba e obrigaram o motorista a atingir e abrir um buraco no muro do Centro de Detenção Provisória (CDP), dando fuga a 36 detentos. Na segunda (15), o ex-diretor da Cadet foi preso preventivamente, por suspeitas de receber dinheiro para facilitar fugas de detentos.
Apesar de tantos problemas, o novo gestor disse que ainda vai tentar bolar estratégias diminuí-los. “Estou acabando de assumir o sistema. Particularmente estou tomando ciência do sistema agora, e as providências também, junto com a equipe da Polícia Militar. Nós vamos tentar evitar que essas coisas ocorram e tentar buscar soluções para esse tipo de problema”, afirmou Marcos Affonso.
O delegado também evitou comentar o pedido de demissão de seu antecessor: “Não posso dizer nada sobre o que aconteceu, porque essa é uma opinião pessoal. E não estou aqui para dar uma opinião pessoal. Estou para dar uma opinião de Estado a partir do momento em que assumi”.

Ainda no pronunciamento, o secretário disse que alguns detentos já foram transferidos de unidades profissionais do Complexo de Pedrinhas para o Presídio São Luís 3, e em breve acontecerão outras. “O presídio São Luís 3 já está pronto e já foram realizadas transferências para esse presídio. A informação que tenho é que serão levados 28 presos para esse presídio. Mas não falamos sobre data e horário, por questão de segurança, para evitar problemas maiores. Inclusive, algumas das movimentações que aconteceram hoje se devem às tomadas de decisões que foram realizadas”, concluiu.
Também presente ao pronunciamento, o comandante da Polícia Militar, coronel Zanoni Porto, argumentou que as tentativas de fugas de detentos, mostradas pela GloboNews, foram contornadas. O comandante considerou a situação normal, sempre que acontecem tentativas de rebeliões ou fugas.
“No Brasil inteiro, quando acontecem rebeliões, os presos sobem para os telhados. O que aconteceu hoje foi isso. É comum. Eles subiram para o telhado, nós os retornamos, o que não acontece em presídio nenhum do Brasil. O controle foi feito. Não houve nenhuma fuga em detrimento desta crise. Houve uma fuga na madrugada, nós detectamos e imediatamente a polícia conteve. Para nós não foi nem uma rebelião, mas um princípio de rebelião”, finalizou.

Fugas pelo túnel do PSL I

Durante a madrugada desta quarta-feira, um grupo de detentos fugiu por meio de um túnel do Presídio São Luís I (PSL I), que também faz parte do Complexo Penitenciário. De acordo com Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária, 13 presos fugiram do PSL I.
O então secretário de Justiça e Administração Penitenciária, Sebastião Uchôa, disse ao G1 que foi realizada uma vistoria geral no sábado (13) e nada foi encontrado, e que os responsáveis pela unidade prisional teriam passado três dias sem revistar as celas, dando tempo para que os presos cavassem o túnel.

"Não foi realizada vistoria ou revista nem domingo, nem segunda, nem terça, deixando acontecer que eles cavassem esse túnel. Como é que ninguem faz revista e vistoria em três dias? Alguém tem que ser responsabilizado", disse.

Uchôa afirmou que a corregedoria e o serviço de inteligência da Sejap foram encaminhados ao local para apurar o caso. "Estão sendo feitos os primeiros levantamentos e será instaurada sindicância para apurar a resposabilidade dessa fuga", garantiu.
Presídio de Pedrinhas, no MA, tem nova tentativa de fuga (Foto: Reprodução/GloboNews) 
Presídio de Pedrinhas, no MA, tem nova tentativa
de fuga (Foto: Reprodução/GloboNews)
Vigilantes fazem paralisação

Os vigilantes que prestam serviços ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas realizaram no início da noite de terça-feira (16), uma paralisação de advertência com o objetivo de reivindicar melhores condições de trabalho em sua área.

De acordo com informações do presidente do Sindicato dos Vigilantes do Estado do Maranhão (Sindvig-MA), Raimundo Benedito Raposo, os trabalhadores que agem naquela área não possuem nenhuma infraestrutura para desenvolver suas atividades. “Os trabalhadores vão e voltam no mesmo ônibus utilizado no transporte dos presos, as guaritas estão em péssimas condições, sem abrigo de sol ou chuva”.

Troca de comando na Casa de Detenção

Na segunda-feira (15), o diretor da Casa de Detenção (Cadet), Cláudio Barcelos, foi preso suspeito de receber dinheiro para facilitar fuga e saídas de presos. Segundo a Polícia Civil, foi descoberto que ele mantinha um esquema para colocar os presos em liberdade e mantê-los soltos o tempo que precisassem. Quanto maior o tempo na rua, maior o preço cobrado.

Vários documentos e notebooks foram apreendidos - até um cartão de crédito em nome de um ex-detento de Pedrinhas foi encontrado. Segundo a Seic, ele poderá responder por corrupção passiva, facilitação de fuga e prevaricação (crime praticado por funcionário público contra a administração pública).

De acordo com o delegado que preside o inquérito, André Gossain, ele admitiu durante o depoimento ter liberado quatro presos, mas nenhum por dinheiro em troca. "Ele afirma que eram detentos de boa conduta, e que também autorizava saídas temporárias, mas que ficava monitorando os beneficiados. Concidentemente, um dos presos voltava para o presídio quando o diretor era preso. Vamos ouví-lo agora", afirmou o delegado.

As investigações contra o diretor da Cadet tiveram início em junho, quando a Superintendência de Investigações Criminais começou a perceber que presos que deveriam prestar depoimentos em audiências não compareciam porque haviam fugido, sem sequer a informação constar no sistema penitenciário. De acordo com o superintendente da Seic, Luís Jorge, as fugas não ocorreram coletivamente.

“A maioria dos detentos que fugiram da Cadet era assaltantes. Começamos a ver que bandidos que não tinham família aqui eram beneficiados com saídas temporárias de datas comemorativas e não retornavam, por exemplo. As fugas normalmente eram pela porta da frente, com alvará falso, ou de outros processos. Percebemos que tinha gente de dentro facilitando, pois era amador demais”, afirmou o superintendente.
  •  
Pedrinhas (Foto: Reprodução) 
Fugas no Complexo Penitenciário de Pedrinhas
Detentos cavaram túnel e escaparam do PSL I
(Foto: Reprodução)

A fuga registrada no túnel do do Presídio São Luís I (PSL I) é a segunda registrada em Pedrinhas neste mês. No dia 10 de setembro, 36 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP) da penitenciária depois que quatro homens roubaram uma caçamba, fizeram o motorista refém e o obrigaram a atingir e abrir um buraco no muro da unidade. De acordo com levantamento do Sindicato dos Servidores do Sistema Pentenciário do Maranhão (Sindspem-MA), 92 presos já fugiram dos presídios de Pedrinhas este ano.

Segundo cadastro de inspeção da 1ª Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), a capacidade total do Complexo Penitenciário seria de 2.104 presos, excluído o Centro de Triagem, mas a lotação é de 2.497 detentos. O Presídio São Luís I, onde ocorreu a fuga nesta madrugada, tem capacidade para abrigar 144 presos em regime fechado. Até antes do ocorrido, 270 homens estavam presos na casa, sendo 50 presos provisórios, 44 em regime semi aberto e 176 em regime fechado. No Centro de Triagem, que não possui cadastro de capacidade porque não faz parte do relatório de inspeção, atualmente há 200 homens.

Jamille Suzart consolida candidatura em Bacabal

Com candidatura lançada formalmente a cerca de 15 dias a coordenação de campanha da ex-secretária da mulher e ex-primeira dama de Bacabal, empresária Jamille Suzart, candidata a deputada federal pela coligação Todos pelo Maranhão 3, formada ainda pelos partidos SDD, PP, PC do B, PPS e PSB, trabalha agora a consolidação de seu nome em todo município e em diversas cidades do Estado.
 
Nos últimos dias, na zona rural, Jamile Suzart fez trabalho de campanha nos povoados de Catucá e Luziana. Na sede do município trabalhou na região da Rua Luís Domingues e do antigo Campo de Pouso. Tem chamado à atenção da coordenação de campanha a forma como a comitiva liderada por Jamille Suzart vem sendo recebida pelas comunidades visitadas.




Jamille em trabalho de campanha na zona rural de Bacabal. Fotos: Denise Marques
São demonstrações efetivas de apoio e carinho que motivam o trabalho e fazem à coordenação apostar nessa consolidação nos próximos 15 dias, período que a campanha eleitoral ainda pode ser feita. A candidata Jamille Suzart é só entusiasmo, mesmo sabendo da responsabilidade e da dificuldade que é substituir ao nome do ex-prefeito de Bacabal, médico Raimundo Lisboa.
 
Jamille tem levado às ruas um discurso novo e motivador, não se limitando apenas a prestar contas da administração do seu marido ou a falar sobre o que ele realizou como prefeito de Bacabal. Ela exorta as pessoas que formam as comunidades que visita a refletir e projetar um novo futuro, mostra sua preocupação com as famílias e com o futuro de Bacabal.
Projeção
Apesar da forma inesperada como o nome da empresária Jamille Suzart foi colocado na disputa eleitoral a candidatura da ex-secretária da mulher de Bacabal já aparece entre aquelas que são citadas com grandes possibilidades de eleição.
O encontro da Rua Luís Domingues. Fotos e arte: Denise Marques
O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) – conhecido por eleger os cem cabeças do Congresso Nacional – apresentou nesta semana a lista das candidaturas mais competitivas para as 18 vagas de deputado federal no Maranhão.

De acordo com o levantamento, Eliziane Gama (PPS), Rubens Junior (PCdoB), João Castelo (PSDB), Domingos Dutra (SDD), Rosângela Curado (PDT), Julião Amin (PDT) e Waldir Maranhão (PP) aparecem entre os mais cotados para ocupar vagas na Câmara Federal a partir do ano que vem.

No quesito candidatos competitivos partido situação/referência prognóstico a candidatura de Jamille aparece assim: Jamille Suzart PSDB – Nova – mulher do ex-prefeito de Bacabal, foi secretária da Mulher no mesmo município, 1 a 2. 
 

Pede pra sair, Roseana Sarney

fugas pedrinhas
A imagem acima é a comprovação de que o governo Roseana Sarney (PMDB) perdeu definitivamente o controle do sistema de segurança pública do Maranhão.
Na foto, vários presos fogem em meio ao protesto de vigilantes terceirizados que fazem a guarda do presídio. Mais cedo, a TV Mirante, de propriedade da família Sarney, chegou a registrar a fuga dos criminosos ao vivo, enquanto entrevistava um agente penitenciário. De acordo a Sejap, pelo menos cinquenta detentos conseguiram fugir.

Na semana passada, as facções criminosas desmoralizaram as forças do estado. Em uma ação ousada, 36 presos conseguiram fugir, depois de utilizarem uma caçamba roubada para derrubar os muros da penitenciária.

O descontrole no sistema prisional do Maranhão perdura há vários anos, mas se intensificou desde o ano passado. De 2013 pra cá, pelo menos 85 presos foram executados – vários deles por decapitação – dentro das celas e alas de Pedrinhas.

roseana-sarney-jose-eduardo-cardozoEm dezembro, constrangida pela crise na segurança e pressionada pela opinião pública, Roseana Sarney, ao lado do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozzo, prometeu erguer 11 novos presídios para desafogar a superlotação em Pedrinhas.

À época, ela decretou estado de emergência e anunciou que inauguraria os presídios no máximo até abril deste ano.  Empenhou, sem licitação, R$ 53 milhões em recursos do BNDES. Mas, até então, nenhuma nova vaga foi criada nas cadeias.

O pedido de impeachment de Roseana Sarney por crime de responsabilidade, elaborado por um grupo de advogados do país inteiro, foi enviado pelo Tribunal de Justiça do Maranhão ao Superior Tribunal de Justiça. A governadora, portanto, corre o risco de ser arrancada do Palácio dos Leões antes do final do mandato, pela incapacidade em adotar medidas para combater o caos na segurança e no sistema prisional do Maranhão.

Igreja Evangélica declara apoio a Patrícia Vieira

A empresária Patrícia Vieira, tesoureira estadual do PROS e presidenta do PROS Mulher no Maranhão, candidata a deputada estadual, em recente visita à Igreja Tabernáculo Evangélico de Jesus, popularmente conhecida como Casa da Bênção, núcleos dos bairros Maracanã e Cidade Operária, em São Luís, recebeu o apoio das lideranças religiosas da instituição religiosa.
 
Patrícia, que é evangélica, foi recebida e apresentada aos demais integrantes da congregação pelo missionário Antônio Ferreira Francelino, superintendente estadual da Igreja.
 
"A igreja tem o direito de apoiar alguém. Escolhemos o nome da irmã Patrícia, mas a igreja não obriga ninguém a votar", disse. "A igreja é livre", completou o missionário. Para Francelino, a igreja não pede nada em troca. Mas espera que o deputado, caso eleito, beneficie projetos e programas criados pela instituição.
Patrícia Vieira foi muito bem recebida nos dois núcleos da Igreja pelos congregados. Foi cumprimentada e estimulada a continuar a sua caminhada sem se desviar do caminho traçado por Deus. agradeceu emocionada ao carinho e apoio recebido deixando para todos o seu testemunho de Fé e comprometimento com as Coisas de Deus.





A Visita ao dois núcleos da Casa da Benção.
A Igreja
 
A Igreja Tabernáculo Evangélico de Jesus foi fundada em 1964, em Belo Horizonte, Minas Gerais, pelo missionário Doriel de Oliveira e sua esposa Missionária Ruth Brunelli, com a missão de evangelizar, segundo os padrões do Novo Testamento e da Igreja Primitiva.
 
Na primeira reunião foi evangelística o missionário Doriel anunciou as boas novas do Reino em cima de um caixote de cebolas e Missionária Ruth entoava louvores, acompanhada por seu acordeom. De uma forma simples, mas repleto de fé, nasceu uma igreja que abençoou milhares de vidas.
Rapidamente a Igreja começou a crescer, pois a mensagem era pregada com vida, unção e principalmente, poder. Sinais, milagres, maravilhas, confirmavam a Verdade pregada, e todos podiam ver que o Senhor realmente estava presente.
 
Com este crescimento, fez-se necessário expandir a mensagem, através das reuniões nos lares. Assim o trabalho seguia os passos da Igreja primitiva, no templo e de casa em casa, abençoando os necessitados. Desta maneira, nasceram os primeiros líderes do Tabernáculo, fazendo reuniões nos lares, e muitos outros líderes foram alcançados para Cristo.
Através deste trabalho nas casas e por toda a cidade pessoas se reuniam nas casas em reuniões que eram feitas em todos os horários do dia ou da noite, aonde houvesse necessitados, podia olhar, haviam homens e mulheres de Deus pregando o Evangelho.
 
Hoje a Casa da Benção formam uma das grandes congregações evangélicas do país. A Casa da Bênção tem cerca de 6 mil membros e 18 unidades em todo o Estado do Maranhão.
 

Sarney reclama de apoio do PT a Flávio e diz que Lula não o atende

sarney
Sarney, abatido, durante evento ontem, em São Luís, com o vice-presidente da República, Michel Temer em ato na Batuque Brasil de apoio a Lobão Filho.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, na semana passada, o vice-presidente da República, Michel Temer, recebeu congressistas no Palácio do Jaburu. Estavam presentes os presidentes do Senado, Renan Calheiros (AL) e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), o deputado federal Eduardo Cunha (RJ), o senador José Sarney (AP) e o ministro Edison Lobão (Minas e Energia).
Segundo relatos à Folha, Temer se queixou de que a campanha de Dilma se fecha e que o PMDB está relegado. Um dos mais exaltados no encontro era o ex-presidente Sarney. Ele reclamou do comportamento do PT no Maranhão, que apoiará Flavio Dino (PCdoB) na disputa estadual.

Dino é o principal adversário da família Sarney, que tem Lobão Filho como candidato. O ex-presidente do Senado tem relatado a interlocutores sua procura sem sucesso por Lula para discutir os problemas. Segundo o senador, sempre que telefona o ex-presidente está “gravando” programas de TV.

Sarney deu demonstrações explícitas de apoio à candidatura do deputado e candidato à reeleição Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à presidência da Câmara no ano que vem. Ele disse no encontro estar à disposição de Cunha para a campanha à presidência.
Durante o primeiro mandato de Dilma, Cunha, que é líder do PMDB na Câmara, foi tido como um dos principais adversários do governo em matérias legislativas e protagonizou as principais crises entre PMDB e Planalto.

PETROBRAS

O PMDB cobra também nos bastidores o vazamento de nomes do partido na delação premiada de Paulo Roberto Costa. Segundo a revista “Veja”, o ex-diretor da estatal teria citado os nomes de Lobão, Renan e Alves em seus depoimentos.
O partido reclama que só nomes da legenda foram envolvidos e que o ministro Lobão foi “jogado ao mar” pelo Planalto, que tenta se desvincular do escândalo.
Outro ponto que incomoda os caciques da legenda é a falta de dinheiro para custear as campanhas estaduais.

Segundo um candidato do PMDB, ficou acertado que o PT repassaria recursos financeiros para auxiliar nas despesas das campanhas peemedebistas, mas o acordo não foi cumprido.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Pastor assume lugar de diretor preso na Casa de Detenção de Pedrinhas


15/09/2014 18h16 - Atualizado em 15/09/2014 18h56

Pastor Noleto Gomes da Silva assume o cargo de Cláudio Barcelos.
Barcelos foi preso por suspeita de facilitação de fuga e saída de detentos.

Do G1 MA
Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís (Foto: Biaman Prado/O Estado) 
Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís
(Foto: Biaman Prado/O Estado)
 
A Casa de Detenção do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, já tem novo diretor. Pastor Noleto Gomes da Silva assume o cargo de Cláudio Barcelos, preso preventivamente na manhã desta segunda-feira (15), suspeito de receber dinheiro para facilitar fugas e saídas de detentos da unidade prisional, segundo informações da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) do Maranhão.

A Casa de Detenção (Cadet) é uma das sete unidades do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, que também é formado pelo presídio feminino, Centro de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), Presídios São Luís I e II, Triagem, e Centro de Detenção Provisória (CDP). O Complexo é conhecido internacionalmente pelos problemas de segurança gerados por fugas e mortes, e também foi palco de brigas de facções, com presos decapitados. Somente na Casa de Detenção, nos últimos 11 meses, 10 detentos morreram no local e pelo menos 20 ficaram feridos após briga entre facções criminosas.
O novo titular da Cadet, Pastor Noleto, como é conhecido, era o diretor do Centro de Triagem, também em Pedrinhas. O substituto para a direção da Triagem ainda não está decidido, de acordo com o secretário de Estado de Justiça e Administração Penintenciária (Sejap), Sebastião Uchoa.
O titular da Sejap afirmou que a escolha para o cargo de diretor do presídio é feita a partir dos profissionais que já atuam no universo prisional, e que fizeram o Curso Avançado de Gestão Penitenciária, de 180 horas, oferecido pela escola de gestão penitenciária.

Entenda a troca de comando

Cláudio Barcelos foi preso suspeito de facilitar fugas e saídas de detentos da unidade prisional que dirigia, durante uma operação realizada pela Polícia Civil. Vários documentos e notebooks foram apreendidos - até um cartão de crédito em nome de um ex-detento de Pedrinhas foi encontrado. Segundo a Seic, ele poderá responder por corrupção passiva, facilitação de fuga e prevaricação (crime praticado por funcionário público contra a administração pública).
GNews - Pedrinhas (Foto: Reprodução GloboNews) 
Carlos Barcelos presta depoimento
(Foto: Reprodução/ GloboNews)
 
De acordo com o delegado que preside o inquérito, André Gossain, ele admitiu durante o depoimento ter liberado quatro presos, mas nenhum por dinheiro em troca. "Ele afirma que eram detentos de boa conduta, e que também autorizava saídas temporárias, mas que ficava monitorando os beneficiados. Concidentemente, um dos presos voltava para o presídio quando o diretor era preso. Vamos ouví-lo agora", afirmou o delegado.

As investigações contra o diretor da Cadet tiveram início em junho, quando a Superintendência de Investigações Criminais começou a perceber que presos que deveriam prestar depoimentos em audiências não compareciam porque haviam fugido, sem sequer a informação constar no sistema penitenciário. De acordo com o superintendente da Seic, Luís Jorge, as fugas não ocorreram coletivamente.

“A maioria dos detentos que fugiram da Cadet era assaltantes. Começamos a ver que bandidos que não tinham família aqui eram beneficiados com saídas temporárias de datas comemorativas e não retornavam, por exemplo. As fugas normalmente eram pela porta da frente, com alvará falso, ou de outros processos. Percebemos que tinha gente de dentro facilitando, pois era amador demais”, afirmou o superintendente.

As suspeitas ganharam maior sustentação há cerca de 20 dias, quando três homens que assaltaram um carro-forte em Sítio Novo, MA, fugiram. “Eles são de alta periculosidade. Fomos no sistema e vimos que eles estavam ativos, como se ainda estivessem presos. O diretor tomava decisões sem o conhecimento da Vara de Execuções Penais. Dava a sentença dos presos como se fosse o próprio juiz. Temos informações de que outros negociavam passar um fim de semana fora, uma semana fora, e depois voltavam. Ele ligava para os presos avisando para retornar, pois teria recontagem”.

Mensagens de telefone ligam diretor da Casa de Detenção a criminosos

15/09/2014 20h03 - Atualizado em 15/09/2014 21h52

Claudio Barcelos cobrava dinheiro para liberar presos em São Luís.
Diretor de presídio de Pedrinhas era monitorado há três meses, diz polícia.

Alex Barbosa Do G1 MA , com informações da TV Mirante
Quadrilha teria pago mais de R$ 300 a diretor de Casa de Detenção, para ser solta (Foto: Reprodução/TV Mirante)Segundo a Polícia Civil, quadrilha de assaltantes teria pago R$ 300 mil a diretor de Casa de Detenção, para ser solta (Foto: Reprodução/TV Mirante)
 
Uma série de mensagens interceptadas pela Polícia Civil comprovam a ligação entre criminosos e o diretor da Casa de Detenção do Complexo de Pedrinhas, Claudio Henrique Bezerra Barcelos. Nesta segunda-feira (15), ele foi preso preventivamente por suspeitas de receber dinheiro para facilitar fugas e saídas de detentos da unidade prisional.

A Casa de Detenção (Cadet) é uma das sete unidades do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, que também é formado pelo presídio feminino, Centro de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), Presídios São Luís I e II, Triagem, e Centro de Detenção Provisória (CDP). O Complexo é conhecido internacionalmente pelos problemas de segurança causados por fugas e mortes, e também foi palco de brigas de facções, com presos decapitados. Somente na Casa de Detenção, nos últimos 11 meses, 10 detentos morreram no local e pelo menos 20 ficaram feridos após briga entre facções criminosas.

Segundo a Polícia Civil, o diretor do presídio era investigado há três meses e foi descoberto que ele mantinha um esquema para colocar os presos em liberdade e mantê-los soltos o tempo que eles precisassem. Quanto maior o tempo na rua, maior o preço cobrado.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma quadrilha de assaltantes chegou a pagar R$ 300 mil para sair da cadeia e ir embora de vez. Imagens do circuito interno de Pedrinhas mostraram a quadrilha inteira indo embora. A autorização para a saída era feita com um documento falso, assinado pelo diretor. Mas para o sistema carcerário, os detentos continuavam presos.

Segundo o delegado que preside o inquérito, André Gossain, Barcelos admitiu ter liberado quatro presos, mas nenhum por dinheiro em troca. "Ele afirma que eram detentos de boa conduta, e que também autorizava saídas temporárias, mas que ficava monitorando os beneficiados.

Concidentemente, um dos presos voltava para o presídio quando o diretor era preso. Vamos ouví-lo agora", afirmou o delegado.
Detento prometeu a diretor que voltaria à Casa de Detenção (Foto: Reprodução/TV Mirante) 
Detento prometeu a diretor que voltaria à Casa de
Detenção (Foto: Reprodução/TV Mirante)
 
Mensagens de telefone trocadas entre o diretor e os fugitivos, interceptadas com autorização da Justiça, revelam uma cumplicidade entre eles. Em uma delas, o diretor pede para o detento retornar à unidade prisional porque haveria uma recontagem dos presos. Ele promete um emprego na portaria para o fugitivo. Em outra mensagem, um preso diz que está na Bolívia e que não pretende mais voltar.

Já em outra mensagem, um preso diz que ‘dá a palavra dele de que vai voltar’. Outra mensagem mostra que um detento pede o número da conta do diretor, e diz que vai ‘mandar uma ideia’, que segundo a polícia quer dizer dinheiro. “Deve haver outros funcionários. A gente tem quase a certeza e vamos chegar a essas outras pessoas que também participavam dessa fraude, e essas pessoas serão responsabilizadas”, afirmou o superintendente de investigações criminais da Polícia Civil, delegado Luís Jorge (veja vídeo acima).

Barcelos respondia pela direção da unidade prisional há oito meses. Nesse período, dois inquéritos foram abertos, também por suspeitas de facilitação em fugas de detentos. Antes de ser diretor da Casa de Detenção foi assessor jurídico do Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas (CDP); da Secretaria-adjunta de Justiça; e assessor jurídico da Casa de Detenção.

Após a prisão de Barcelos, a Sejap escolheu um substituto. O novo titular da Casa de Detenção, Pastor Noleto, como é conhecido, era o diretor do Centro de Triagem, também em Pedrinhas. O substituto para a direção da Triagem ainda não está decidido, de acordo com o secretário de Estado de Justiça e Administração Penintenciária (Sejap), Sebastião Uchoa.
Penitenciária de Pedrinhas, em São Luís (Foto: Divulgação/CNJ) 
Casa de Detenção de Pedrinhas,
em São Luís (Foto: Divulgação/CNJ)
Investigações

Cláudio Barcelos foi preso na manhã desta segunda-feira (15) após policiais cumprirem cumpriram mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em seu escritório e sua residência.

As investigações contra o diretor foram iniciadas em junho, quando a Superintendência de Investigações Criminais (Seic) começou a perceber que presos que deveriam prestar depoimentos em audiências não compareciam porque haviam fugido, sem sequer a informação constar no sistema penitenciário. De acordo com o superintendente da Seic, Luís Jorge, as fugas não ocorreram coletivamente.

“A maioria dos detentos que fugiram da Cadet era assaltantes. Começamos a ver que bandidos que não tinham família aqui eram beneficiados com saídas temporárias de datas comemorativas e não retornavam, por exemplo. As fugas normalmente eram pela porta da frente, com alvará falso, ou de outros processos. Percebemos que tinha gente de dentro facilitando, pois era amador demais”, afirmou o superintendente.

As suspeitas ganharam maior sustentação há cerca de 20 dias, quando três homens que assaltaram um carro-forte em Sítio Novo, MA, fugiram. “Eles são de alta periculosidade. Fomos no sistema e vimos que eles estavam ativos, como se ainda estivessem presos. O diretor tomava decisões sem o conhecimento da Vara de Execuções Penais. Dava a sentença dos presos como se fosse o próprio juiz. Temos informações de que outros negociavam passar um fim de semana fora, uma semana fora, e depois voltavam. Ele ligava para os presos avisando para retornar, pois teria recontagem”.
Mensagem mostra detento oferecendo dinheiro a diretor de Casa de Detenção (Foto: Reprodução/TV Mirante)Mensagem mostra detento oferecendo dinheiro a diretor de Casa de Detenção (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Deputado Roberto Costa consegue acordos para resolver impasse sobre a reabertura do matadouro de Bacabal

Deputado Roberto Costa em reunião na Secretaria Estadual de Meio Ambiente

Portaria da Aged garante que gado de Bacabal seja abatido em São Mateus, enquanto o matadouro de Bacabal recebe melhorias.

A semana começa com boas notícias para Bacabal. Após sofrer por muitos dias com o desabastecimento de carne, em decorrência da interdição do matadouro municipal, agora a população tem novas expectativas até ver o problema definitivamente solucionado.

A partir da intervenção do deputado estadual Roberto Costa (PMDB), que ampliou a discussão do assunto na Assembleia Legislativa e buscou pessoalmente uma solução para o problema junto aos órgãos competentes, tanto a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA), como a AGED (Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão), definiram entendimento sobre o caso após reunião com o parlamentar.
 Deputado Roberto Costa recebe Portaria das mãos de Fernando Lima, Diretor da AGED

 Com a SEMA ficou estabelecido que a prefeitura de Bacabal realizará intervenções prioritárias no matadouro, a exemplo da troca do piso e de reparos sanitários, mudanças para a adaptação do local, decorrentes do Termo de Ajuste de Conduta-TAC, proposto pelo Ministério Público via Secretaria de Meio Ambiente. Ainda num prazo de 90 dias, o município deverá apresentar o projeto e o terreno para a construção do novo matadouro de Bacabal.

Enquanto as mudanças acontecem, o deputado Roberto Costa conseguiu uma portaria junto a Aged, que regulamenta o abate do gado de Bacabal no município de São Mateus temporariamente, fato que trará tranquilidade aos moradores e trabalhadores bacabalenses prejudicados com a situação nos últimos dias.

Sob a afirmação da necessidade de melhorias, há mais de quinze dias, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente havia fechado o matadouro municipal por recomendação da Promotoria de Bacabal. 

“Não podíamos aceitar que a população continuasse pagando por isso. Não bastasse o desabastecimento de carne, o que fez com que o valor do produto aumentasse significativamente, muitos pais de família estavam sem poder trabalhar e levar o sustento para casa; somos conscientes de que o matadouro precisa ser melhorado, mas era preciso criar uma alternativa e com todo emprenho tenho tratado disso porque vi de perto como a população estava sendo prejudicada”, defendeu Roberto Costa.
Deputado Roberto Costa conversa com magarefes em Bacabal

Polícia Civil prende assaltantes em Zé Doca


Uma ação dos investigadores lotados na 8ª Regional de Zé Doca, sob a coordenação do delegado Jader José Alves, resultou, no final de semana, na prisão de Ivaldo Cardoso Serra, 21 anos, e Gidenilson Pinheiro Correa, também de 21 anos, suspeitos de cometer assaltos na região de Zé Doca.

Segundo o delegado regional Jader José Alves, a dupla, armada com um revólver e uma faca, se dirigiu até uma escola, localizada em Zé Doca, em uma motocicleta Titan preta, onde anunciou o assalto contra um adolescente. Os dois subtraíram da vítima um aparelho celular.
Ainda de acordo com o delegado, após a ação criminosa a polícia foi acionada, e imediatamente deu início às diligências a fim de localizar os envolvidos no assalto. Os dois foram encontrados com roupas diferentes e passeando na motocicleta.

No momento, que os policiais se aproximaram, os acusados dispensaram o revólver 38 em um matagal. Com Gidenilson, foi encontrado o aparelho celular roubado do adolescente. Ele afirmou que a arma de fogo seria alugada.

A dupla criminosa, explicou Jader Alves, no mês de julho, teria cometido um assalto em uma lan house, na cidade de Araguanã. Ivaldo e Gidenilson foram encaminhados para a delegacia regional de Zé Doca, onde foram autuados em roubo qualificado e ficarão à disposição da Justiça.

Roseana e Lobão têm levado o Maranhão às páginas policiais do país, diz Othelino


othelinoO deputado estadual, Othelino Neto (PCdoB), disse, na sessão desta segunda-feira (15), que o Maranhão vem batendo recordes negativos por conta da governadora Roseana Sarney e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que agora se destacam, nacionalmente, nas páginas policiais. O parlamentar citou as revistas Época, Veja e IstoÉ que trazem os dois como citados e enrolados em um depoimento do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

“Olhem no que transformaram o Maranhão. Escândalos sucessivos e, pior, os dois permanecem em um silêncio, sem sequer explicar e sem apresentar à sociedade brasileira e maranhense uma explicação para isso. A governadora continua calada e agora resolveu andar o Maranhão, tentando cooptar lideranças e tem escutado coisas que não gostaria. Tem colhido os frutos do péssimo governo que impõe aos maranhenses”, disse Othelino Neto.

Othelino voltou a citar, na tribuna, a cena de uma senhora de Icatu que, de forma respeitosa, porém veemente, cobrou da governadora as ações do governo do Estado lá no município. O deputado disse que Roseana esteve, recentemente, em Primeira Cruz também tentando cooptar lideranças em troca de obras e promessas.

Conduta vedada

O deputado disse que, em Icatu, Roseana cometeu conduta vedada clara e explícita porque disse que iria ajudar a comunidade, mas queria que as pessoas votassem no candidato dela. “A atitude já virou uma nova representação, em função disso ser, claramente, conduta vedada pela Legislação Eleitoral, abuso de poder político”, afirmou.

Segundo Othelino, a governadora, que está deixando o Estado jogado como se fosse um navio sem o seu comandante, agora resolveu sair fazendo campanha pelo Maranhão, enquanto o Estado está largado às traças. “Pedrinhas está de novo no noticiário nacional. Imaginem, primeiro eram seis presos, depois se descobriu que eram 36. Agora, um dos diretores do presídio estava envolvido, acabou sendo detido. Ou seja, o Maranhão está entregue a um governo que jogou o Estado em qualquer lugar”, frisou.

O deputado do PCdoB disse que está acabando o tempo do Maranhão figurar nas páginas policiais. “Está terminando o tempo da vergonha permanente. A governadora tem sido destaque em todos os escândalos que acontecem no país”, comentou.

Do Blog Marrapá

PIADA PRONTA: Lobão Filho — senador biônico, afilhado de Sarney — diz que é “renovação”





O ministro Lobão, há mais de três décadas na política, com o filho e suplente sem voto, Lobão Filho: “renovação” (Foto: O Estado do Maranhão)
O ministro Lobão, há mais de três décadas na política, com o filho e suplente sem voto, Lobão Filho: “renovação” (Foto: O Estado do Maranhão)


No país da piada pronta, não é de estranhar nada o cinismo empedernido e escancarado na política, mesmo quando ele é ridículo.

Vejam a declaração feita ao jornalista Bernardo Mello Franco pelo marqueteiro Elsinho Mouco, que faz a campanha do candidato de Lula e Dilma ao governo do Maranhão, Lobão Filho:
– Um ciclo se encerra com a aposentadoria do presidente Sarney e a saída de Roseana [Sarney do governo do Maranhão. Ela decidiu não se candidatar ao Senado e sem cargos eletivos nos próximos quatro anos.] Agora começa a renovação.

Renovação!!!
Renovação???

Lobão Filho, senador biônico (suplente do próprio pai, em exercício há quatro anos, sem ter obtido um só voto) é filho do atual e duas vezes ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.
Edison Lobão tem mais de 30 anos de vida política, e antes de ser ministro de Lula e Dilma — com credenciais técnicas altamente contestáveis, já que sua formação é de jornalista e jamais atuara na área — foi deputado, governador do Maranhão e duas vezes senador.
E tudo isso pelas mãos de quem?

Lobão era um jornalista político simpático à ditadura que cobria as atividades do Congresso, em Brasília, e sempre foi próximo do hoje senador e ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), que manda no Estado há meio século.

Foi pelas mãos de Sarney que entrou na política, deixou o jornalismo, tornou-se dono de uma rede de veículos de comunicação no Maranhão e aos poucos galgou os degraus da carreira.
O filho, agora, se apresenta como “renovação”. Deve ser por isso que ele esconde, na campanha, tanto Sarney como o próprio pai.
É o Brasil.

Mudanças na Globo

William Bonner é apontado como pivô da queda de Patricia Poeta

João Cotta/TV Globo
William Bonner e Patrícia Poeta durante entrevista a Marina Silva na bancada do Jornal Nacioanl
 
Por DANIEL CASTRO, em 15/09/2014 · Atualizado às 21h14 
 
A versão oficial da Globo de que já estava previsto que Patricia Poeta ficaria apenas três anos como apresentadora do Jornal Nacional não foi digerida nos bastidores da própria emissora. Para jornalistas da Globo, Patrícia não saiu do JN; ela caiu. E todos os dedos apontam para William Bonner como o principal articulador da queda de Poeta, que, especula-se na emissora, deverá comandar um programa vespertino de variedades em 2015. 

Nos bastidores da Globo, é notório que Bonner nunca digeriu o fato de ter que aceitar Poeta como colega de bancada, em 2011, no lugar de Fátima Bernardes. Poeta, segundo essa versão dos fatos, foi imposta por Amaury Soares, diretor de programação da Globo, marido da jornalista. Não teria sido uma escolha de Bonner.

Na Globo, há quem enxergue um processo de fritura de Patricia Poeta, que fez Bonner mero coadjuvante durante a Copa do Mundo. Coincidentemente, sua saída do JN foi anunciada nove dias depois de vazar a notícia de que ela está comprando um apartamento de R$ 23 milhões em Ipanema, bairro nobre do Rio.
O problema não é o valor do imóvel. Mas o vendedor: George Sadala, nome que o noticiário político relaciona à CPI do bicheiro Carlinhos Cachoeira e a oposição ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, coloca na "Gangue dos Guardanapos".

A justificativa oficial da Globo de que a saída de Patricia Poeta estava planejada havia três anos não combina com a tradição da emissora de manter jornalistas durante muito tempo ocupando os mesmos cargos. William Bonner, por exemplo, está há 18 anos à frente do JN. Fátima Bernardes ficou 13 anos no telejornal.

O maior indício de que Patricia foi "expulsa" do JN em plena campanha eleitoral vem da substituta de Renata Vasconcelos, que deixará o Fantástico para assumir o principal telejornal do país.
Poliana Abritta, a nova apresentadora do Fantástico, acaba de ser designada correspondente da Globo em Nova York. Ela nem chegou a estrear no posto. Foi para a cidade americana em julho e voltou na semana passada. Nesta terça, já começa a dar expediente na revista eletrônica semanal. 

A Globo, no entanto, sustenta que a estadia de Abritta em Nova York seria apenas até novembro e que ela voltou antes porque seus filhos não se adaptaram aos Estados Unidos.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Petista preso por facilitar fugas em Pedrinhas é indicado de Washington

10699273_789675154387259_354129800_nFiliado ao PT de Vitória do Mearim, o diretor da Casa de Detenção (Cadet), unidade do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, Cláudio Henrique Bezerra Barcelos, de 45 anos, foi preso na manhã de hoje (15), acusado de facilitar fugas de detentos da unidade. De acordo com os delegados André Gossain e Thiago Bardhal, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) – responsáveis pela prisão – Cláudio vinha sendo investigado desde junho passado e foi indicado para o cargo pelo ex-vice governador do Maranhão, Washington Luiz, agora conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

O suspeito recebia dinheiro para liberar os presos, que continuavam aparecendo como internos do sistema prisional, mesmo estando livres, informaram os delegados. Ao menos 10 detentos estariam nessa condição. Os valores que teriam sido pagos pelos presos estão sendo apurados pela polícia, mas os primeiros levantamentos indicam que variavam de R$ 2 mil a R$ 300 mil.

claudiodiretorlegCláudio Barcelos foi preso em seu gabinete, na própria Cadet, às 10h. Interrogado na Seic, teria admitido o esquema de facilitações de fugas. O envolvimento no crime de outras pessoas ligadas ao diretor está sendo investigado.

O diretor foi indiciado por facilitação de fuga, prevaricação (quando um funcionário público deixa de cumprir propositalmente sua função) e corrupção ativa. Ele vai ficar preso preventivamente no quartel da Polícia Militar, no bairro do Calhau, em São Luís.
Com informações do O Globo

Pela primeira vez, bebê terá um pai e duas mães na certidão de nascimento

Mesmo com tudo de retrógado que está acontecendo no Rio Grande do Sul nas últimas semanas, uma coisa parece que atravessou a linha rumo a evolução. É que, pela primeira vez, um bebê terá registrado na certidão de nascimento o nome de duas mães e um pai. A decisão inédita foi do juiz diretor do Fórum de Santa Maria, Rafael Pagnon Cunha.

Entenda o caso

Fernanda Batagli, que vive uma relação homoafetiva com Mariani Guedes há quatro anos, deu à luz a pequena Maria Antônia nasceu no dia 27 de agosto. Como era comum o desejo de serem mães, as duas contaram com a ajuda do amigo Luiz Guilherme Canfield para ser o pai biológico. A única exigência que ele fez é queria ser registrado como tal.

Além disso, Maria Antônia terá ainda os nomes de todos os avós em seu primeiro documento oficial. A decisão por uma certidão multiparental veio da ideia de contemplar toda a “rede de afetos” da menina, como classificou o juiz.

Na visão do magistrado, o que a família quer é “admiravelmente assegurar à sua filha uma rede de afetos. E ao Judiciário, Guardador das Promessas do Constituinte de uma sociedade fraterna, igualitária, afetiva, nada mais resta que dar guarida à pretensão – por maior desacomodação que o novo e o diferente despertem”, declarou.

Coronel preso no Rio já foi "caveira" e transferiu PMs para manter esquema

Hanrrikson de Andrade e Paula Bianchi
Do UOL, no Rio
  • Fontenelle comandava o COE e era o terceiro homem na hierarquia da PM no Rio
    Fontenelle comandava o COE e era o terceiro homem na hierarquia da PM no Rio
Preso na manhã desta segunda-feira (15) em sua casa, no Leme, na zona sul do Rio de Janeiro, em uma operação do Ministério Público do Rio de Janeiro que busca desarticular uma quadrilha de policiais militares suspeitos de cobrar propina de moradores e comerciantes na zona oeste do Rio, o coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro é visto pelo MP como o líder do grupo. Terceiro homem na hierarquia da Polícia Militar do Rio de Janeiro, ele fez questão de manter-se cercado pelos oficiais envolvidos no esquema quando foi transferido de batalhão.

"Caveira", nome dado aos PMs que passaram pelo Bope (Batalhão de Operações Especiais), o coronel tem 44 anos de idade e 24 de Polícia Militar. À frente do COE (Comando de Operações Especiais) desde agosto de 2013, tinha sob o seu comando o Bope, o Batalhão de Choque, o Grupamento Aeromóvel e o Batalhão de Operações com Cães.

Em setembro de 2010, Fontenelle assumiu o comando do recém criado 41º Batalhão, em Irajá. De lá, seguiu para o comando do 14º Batalhão, em Bangu, onde estão lotados a maior parte do policiais militares suspeitos de fazerem parte da quadrilha. Segundo o promotor Cláudio Calo, a quadrilha já ordenava a cobrança de propina em Irajá e, ao mudar de batalhão, o coronel fez questão de manter ao seu lado os policias que participavam do esquema.

Calo explicou que o grupo se organizava como uma empresa de sociedade anônima. Cada policial tinha uma atribuição definida previamente: desde as equipes de policiamento ostensivo (que faziam a arrecadação nas ruas) até oficiais do comando do batalhão, responsáveis pela distribuição do dinheiro. "Era uma verdadeira holding criminosa militar", afirmou.

Segundo a promotoria, Fontenelle e seus subordinados se preocupavam também em evitar uma eventual discórdia entre os policiais do segundo escalão da quadrilha. Um dos PMs presos nesta segunda, de licença em casa após ser atropelado, recebia "propina a domicílio".
Ampliar

Violência policial no Rio de Janeiro

15.set.2014 - A Corregedoria da Polícia Militar e dois promotores do Ministério Público Estadual do Rio apreenderam R$ 287 mil na casa do major Edson Pinto de Goes, que está foragido. A ação foi resultado de uma operação que terminou com a prisão de 22 PMs acusados de extorsões na área do batalhão de Bangu, zona oeste da cidade, contra comerciantes ou motoristas de vans Divulgação/Secretaria de Segurança do Rio
 
Oficialmente, o coronel recebia como comandante do COE R$ 32.251,41 brutos e R$ 17.107,29 líquidos; o governador e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB) ganha R$ 21.968,14 brutos em R$ 16.330,43 líquidos.
Procurada, a Polícia Militar informou que não se manifestaria sobre o assunto, que está a cargo da Secretaria de Segurança. Os advogados dos PMs envolvidos também não foram localizados.

14º Batalhão

O 14º Batalhão tem sido envolvido com frequência em denúncias de corrupção de policiais. Em abril de 2013, durante a Operação Compadre, que deu origem a ação desta segunda, a polícia cumpriu 78 mandados de prisão, 53 deles contra policiais militares, muitos deles do 14º BPM, para a desarticulação de uma quadrilha que realizava cobranças de propina de feirantes e comerciantes com mercadorias ilícitas em Bangu.

Já em janeiro de 2011, o tenente-coronel Djalma Beltrami foi preso sob suspeita de participar de um suposto esquema de propinas cobradas de traficantes de drogas quando era comandante do 14º BPM. Em 2009, o então comandante do 14º BPM, coronel Celso Lacerda Nogueira, foi condenado a sete anos de reclusão, além da perda do cargo, acusado de participar de uma quadrilha que chefiava grupos criminosos cuja rivalidade pelo domínio do jogo ilegal causou dezenas de mortes na zona oeste do Rio.

Esquema

De acordo com a investigação, os policiais cobravam taxas para facilitar ou não reprimir diversos tipos de serviço, sendo a maioria associada ao transporte de passageiros e de carga. Para liberar um mototaxista sem carteira de habilitação, por exemplo, os PMs exigiam pequenas quantias. Já para liberar entregas de eletrodomésticos, móveis, entre outros produtos, a propina podia chegar até a R$ 2.000.

O faturamento total dos criminosos ainda está sendo calculado. Durante a operação, os agentes apreenderam quantias de R$ 287 mil e R$ 33 mil, respectivamente, nas residências de dois dos policiais presos. Foram expedidos pela Justiça 25 mandados de prisão. Duas pessoas são consideradas foragidas.

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais