quarta-feira, 11 de maio de 2016

Empresário é acusado de falsificar documentos para fazer vistoria de BMW no Detran

Flávio Antônio Gomes de Oliveira, o Macarrão, nega as acusações.



thumbnail_IMG-20160511-WA0045
O empresário Flávio Antônio Gomes de Oliveira, o Macarrão.

Um empresário do ramos de automóveis identificado como Flávio Antônio Gomes de Oliveira, o Macarrão, é acusado de fraudar documentos oficiais, como Boletim de Ocorrência, que estavam em nome da senhora Maria Márcia Silva Freire.

Segundo informações, a vítima das irregularidades vendeu o seu veículo BMW X1 preto para a concessionária Dalcar, e o proprietário da loja de carro, por sua vez repassou o mesmo automóvel para Macarrão, para que esse pudesse revender para outra pessoa e em seguida passar o dinheiro para o dono da Dalcar.

Macarrão vendeu o veículo para outra pessoa residente no estado de Minas Gerais e não pagou o valor devido. Ao saber disso, o proprietário da concessionária imediatamente passou o BMW X1 para nome da Dalcar, que ainda estava em nome de Maria Márcia.

Para dá continuidade ao processo de transferência fraudulento, foi falsificada a Carta de Anuência, onde afirma que o dono da Dalcar estava desistindo da compra do carro.

Em seguida foi registrou um Boletim de Ocorrência falso em nome de Maria Márcia, onde declara que perdeu os documentos do referido veículo. Além disso, foi elaborado documento com assinatura falsifica reconhecido em cartório da antiga proprietária do veículo do qual permitiu que o despachante contratado por Macarrão atuasse pedindo no Detran uma segunda via do documento de transferência do carro.

Posteriormente a esses procedimentos, a BMW X1 foi levada para ser vistoriado no Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão, no entanto o carro já estava em outro estado. Portanto, não teria como fazer a revisão e vistoria. Mas, documento foi assinado e carimbado por um funcionário do Detran, sinalizando que o automóvel estava pronto para trafegar, ou melhor, ser transferido.

Ao saber da fraude, o proprietário da concessionária informou a Maria Márcia das irregularidades, que por sua vez registrou um Boletim de Ocorrência afirmando que vendeu o carro para loja Dalcar, inclusive, que teve diversas assinaturas falsificadas e reconhecidas em cartório de São Luís.
O caso já está na delegacia de defraudações e pode resultar em prisão pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato, entre outros.

Em contato com o Blog do Neto Ferreira, Flávio Antônio Gomes de Oliveira, nega que nega tenha falsificado os documentos citados acima. “Não vou falsificar um carro que eu comprei. Isso não tem lógica”.
Fraude
Documento com assinatura falsificada.
Fraude1
Documento com assinatura verdadeira.
IMG-20160509-WA0092
Documento com assinatura falsificada.

Do Blog do Neto Ferreira

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais