ricardo-murad-190809É grave a acusação revelada em interceptação telefônica feita pela Polícia Federal que flagrou um dos donos do Instituto de Cidadania e Natureza (ICN), José Inácio Guará, falecido este mês no estado de São Paulo, dizendo a um homem identificado como Joy que Ricardo Murad cobrava 30% de propina sobre contratos das empresas terceirizadas na Secretaria de Estado da Saúde.

Com a morte de José Inácio, a Polícia Federal não o pode chamar em depoimento para confirmar a revelação feita.

Só que além deste delito, pesam sobre Ricardo Murad outras denúncias. A Polícia Federal considera Murad como ‘mentor e comandante de organização criminosa’ que desviou pelo menos R$ 1,2 bilhão da Saúde do Maranhão. Mais de R$ 200 milhões em recursos federais do Fundo Nacional de Saúde (FNS) foram parar em campanhas eleitorais no Maranhão.

Se o juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, estivesse na operação “Sermão aos Peixes”, certamente o ex-secretário Ricardo Murad não estaria nem mais dormindo. E muitos outros também…