terça-feira, 20 de outubro de 2015

Suspeita de canibalismo em Pedrinhas é denunciada por promotor

  •  
  •  
Corpo esquartejado foi encontrado no Presídio São Luís II.

Foto: Flora Dolores/O Estado
SÃO LUÍS – Uma suspeita de prática de canibalismo no Complexo Penitenciário de Pedrinhas foi denunciada pelo promotor Gilberto Câmara Júnior da 12ª Promotoria de Justiça de Substituição. O inquérito foi instaurado, no fim de 2013, para apurar a descoberta de um corpo esquartejado no Presídio São Luís II. O grupo teria esquartejado um preso, assado seu fígado e servido.

“Mais de 50 pedaços foram colocados na lixeira do presídio”, afirmou o promotor em entrevista à Rádio Mirante AM.

No início das investigações, surgiu um nome, mas depois, descobriu-se que o nome do detento morto estava registrado de maneira errada. Edson Carlos Mesquita da Silva é o verdadeiro nome da vítima, segundo as investigações. Ele chegou a fugir do complexo e utilizou outro nome ao ser recapturado.
A família foi chamada para fazer o reconhecimento do corpo do detento. “O pai não teve coragem ver o corpo. O cunhado ficou encarregado de observar”. Ele foi reconhecido em razão de uma tatuagem, segundo o promotor.

Os suspeitos do crime, segundo o Ministério Público, são: Rones Lopes da Silva, conhecido como “Rony Boy”; Geovane Sousa Palhano, conhecido como “Bacabal”; Enilson Vando Matos Pereira, conhecido como “Matias”; e Samyro Rocha de Souza, conhecido como “Satanás”.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais