sexta-feira, 22 de maio de 2015

OS PIRATAS: Da terra dos índios explorando nossa bacaba



A instalação de uma emissora de TV repetidora / retransmissora em qualquer cidade do Brasil, depende de um complexo projeto elaborado por um engenheiro da comunicação. O projeto é realizado calculando interferências, refletidas e analisando os mais criteriosos dados técnicos, para a partir daí dá entrada em um processo licitatório, participando com outros interessados no canal disponível, para que após o vencimento da concorrência, se tenha em mãos a outorga e/ou autorização do Ministério das Comunicações, para que possa ir ao ar, uma emissora RTV legalizada! 
Caso esse processo que dura em torno de 1 a 10 anos não ocorra, é bem provável que a emissora seja ilegal, ou popularmente chamada de PIRATA. 
Afinal, os serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens, nos termos da Constituição Federal, devem ser explorados por meio de outorgas de concessão, permissão e autorização. O advento da Carta de 1988 trouxe sensível evolução da disciplina constitucional dessas outorgas, ante um contexto histórico de uso com fins políticos e econômicos, dissociados de sua relevância social e cultural.

Vejamos então, em uma breve pesquisa, que qualquer cidadão pode fazer no site da agência nacional de telecomunicações (ANATEL), para tirar dúvidas de quais emissoras são legalizadas ou PIRATA em Bacabal, constatamos apenas cinco emissoras enquadradas no plano básico RTV, são elas a TV Difusora, TV Mearim, TV Maranhão Central (Mirante), TV Vale do Farinha (Nova Esperança) e TV Independente de São José do Rio Preto (Rede Vida).


ENTÃO, TEM PIRATA NA ÁREA!
 
Os piratas, que não são do caribe, nem utilizam o tapa olho dos originais, já tentaram de todas as formas emplacar na opinião pública, e serem aceitos ou reconhecidos pela grande massa da sociedade da terra da bacaba, mas até agora todas as tentativas foram sem sucesso, tudo que fazem e falam se descredibiliza por si só. 

LOIRO JOSÉ DA TV PIRATA
Ninguém acredita, e nem confia. E isso, gera incômodo, desconforto e muita ira... Como todas as tentativas em outras emissoras de TVs deram errado, para os integrantes da tribo indígena conseguirem o seu objetivo na nossa terra, resolveram então, por no ar, uma emissora de Tv local (PIRATA) "só deles", deram luz ao "Loiro José de Bacabal" e até colocaram pra rodar a roda quadrada, que saiu da moda a muitos anos trás.

Mas até agora nada de mídia, nada de audiência, muito menos de credibilidade do público. 
Não tem adiantado nem atacar o comércio local, denegrindo e falando mal das emissoras legalizadas da cidade, com propostas de propaganda publicitária de R$100 com direito a 30 chamadas por dia. 
NEM ASSIM... Isso porque a até a luz da TV pirata foi cortada na semana que passou.


Esperamos que as autoridades competentes tomem providências, pois além de ser concorrência desleal na pratica comercial da atividade RTV, a emissora tem colocado em risco a vida de moradores vizinhos, pois como se trata de uma TV pirata, colocada no ar sem critérios técnicos pode está emitindo radiação prejudicial a saúde humana.
 
Do Blog do Israel Braga

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais