terça-feira, 3 de março de 2015

Após pressão, Cunha recua na concessão da bolsa-esposa a deputados

Tema deve ser discutido pela Mesa Diretora da Câmara nesta terça (03), pela manhã. Cunha anunciou que o benefício não será mais automático, mas caso a caso


Publicação: 02/03/2015 17:19
 

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou nesta segunda-feira (02), que vai propor um recuo na concessão de passagens aéreas para cônjuges de parlamentares, anunciada na semana passada. “Eu vou levar à Mesa para que a Mesa possa deliberar, mas a minha proposta é uma proposta de recuo. O que eu posso afirmar é que haverá um recuo. Agora, qual tipo de recuo será, vamos deixar que a Mesa decida em conjunto, para que não seja uma proposta voluntarista minha”, disse ele a jornalistas, de forma confusa. A Mesa Diretora da Câmara se reúne nesta terça-feira (03), pela manhã, para tratar do assunto.

A jornalistas, Cunha disse que proporá que os parlamentares tenham de justificar a compra de passagens para esposas. A regra seria similar à adotada hoje para a compra de passagens para assessores. “O que eu defendo é criar uma condição, definir as excepcionalidades que poderiam ser adotadas mediante a decisão de cada caso individual. O parlamentar teria que requerer, como acontece com os assessores”, disse ele.

Depois do PSDB, do PSOL e do PPS se manifestarem contra a medida, a bancada do PT também fechou questão contra a regalia na tarde desta segunda-feira. O líder do partido, Sibá Machado (AC) divulgou nota segundo a qual os parlamentares do partido foram orientados a não utilizar o benefício. “De fato, conceder passagens aéreas pagas pelo contribuinte para as esposas de Deputados é um absurdo”, disse Alberto Cantalice, vice-presidente nacional do partido.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais