segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Decreto que convoca candidatos para a PM e Corpo de Bombeiros provoca polêmica

e6bb18bc161545e318d615c547bd41e24edea4215e7580ff8b365fe65cd5b73e 
O decreto baixado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que determina a convocação de 1 mil aprovados na primeira etapa de concurso público para a Polícia Militar e para o Corpo de Bombeiros já cria polêmica nos bastidores.

Isso porque há um problema, ainda não exposto por membros do Governo, mas que seguramente será questionado por especialistas.

O edital do concurso previa apenas a chamada daqueles que já se submeteram aos testes e que foram aprovados e consequentemente ingressaram nas corporações, ou que foram reprovados. Não há excedentes para esse concurso, pelo menos segundo o edital.
O que há ainda é uma discussão a respeito de 268 casos que foram considerados reprovados nos testes de aptidão física, mas que recorreram à Justiça.

Flávio Dino autorizou, portanto, a convocação de 1 mil candidatos que na verdade não haviam sido classificados dentro do número de vagas estabelecidos em edital.

E a questão já levantada é: seria legal o decreto baixado pelo novo governador, uma vez que ele dá nova interpretação ao edital do concurso público? E que garantias a sociedade terá de bons policiais, se os candidatos não conseguiram sequer se classificar de acordo com o que exigia o edital?
São questões que precisarão ser esclarecidas e resolvidas pelo governador.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais