segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Vitória com gosto de derrota


Publicada em 11/10/2014 às 11:46:46


O resultado das urnas apresenta muitos elementos para análise de como estão se conduzindo os políticos e de como o povo está aceitando, ou não, a forma de agir dos representantes eleitos.
Para a votação, não é determinante apenas o desempenho, mas em algumas situações, fatores relacionados ao político ou ao grupo político ao qual pertence.
É o caso do deputado federal Alberto Filho, que não tem o que comemorar na eleição deste ano. Seu grupo não fala em vitória.

Eleito em 2010 com 89 mil 704 votos, o parlamentar prestou assistência durante os quatro anos aos municípios em que foi votado. Talvez a que menos tenha merecido atenção foi a cidade de Bacabal, onde reside e onde o pai é prefeito e principal responsável pelo amargor da vitória.
Na eleição de 2010, Alberto Filho foi votado por 16.480 bacabalenses. Este ano sua votação na cidade caiu para 8.567.

O resultado expressa a reprovação do eleitor à administração medíocre do prefeito José Alberto Veloso. Sem noção de gestão pública, noventa por cento dos que lhe rodeiam e assessoram só estão preocupados em se dar bem. Não poderia ser diferente.

Incapaz de tirar o Prefeito, eleito como resposta à péssima gestão de Raimundo Lisboa, o eleitor queria se vingar nas urnas. Essa era a tônica ouvida em todas as rodas de conversa “vamos dar a resposta quando ele vier pedir voto para o Alberto Filho”.

O povo respondeu à altura? Alguns acham que não. Consideram que Alberto Filho ainda recebeu mais votos do que deveria. O certo mesmo é que sua equipe estava bem consciente do fracasso que seria em Bacabal e tratou de incrementar a campanha em outros municípios onde ele havia sido votado em 2010, além de conquistar novos redutos. Quase que não dá certo.

Alberto Filho foi eleito na última vaga da sua coligação. Por poucos dias, conviveu com o fantasma da não-eleição. Se o recurso de Deoclides Macedo tivesse sido julgado favorável no TSE, hoje Alberto seria um deputado-suplente.

Perguntas a serem feitas:

1. Numa cidade com 66 mil eleitores, um deputado federal da própria cidade conseguir a votação de apenas 8.567, é algo normal?

2. O Prefeito José Alberto tem consciência do mal que fez para a carreira política do seu único filho?

3. Na hipótese de ter essa consciência, deverá mudar radicalmente sua forma de administrar?

4. Se José Alberto, sendo parte do grupo da situação e sempre contando com o apoio do senador João Alberto, fez uma pífia gestão, como agirá a partir de agora estando na oposição?

A foto que ilustra esse post foi feita na dia da eleição. O semblante da família Veloso mostra bem que não há o que comemorar. Alegria mesmo só a do vereador Perí que em momento algum assumiu a campanha de Alberto Filho. Perí estava a comemorar, como quem vê a realidade mas nao enxerga a verdade dos fatos.

Do Blog do Louremar Alves

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais