quinta-feira, 26 de junho de 2014

Um crime contra a Cultura

Publicada em 26/06/2014 às 11:40:10
A quem se deve imputar a culpa pelo crime que está sendo perpretado em Bacabal contra a cultura maranhense?
Na noite de terça-feira (25) o percusionista e cantor Papete fez um show no arraial promovido pela Prefeitura da cidade. Na mesma noite se apresentou o cantor Beto Pereira. Na noite da quarta-feira (25) a atração foi o Boi Barrica. As três atrações, de indiscutível qualidade, foram vistas por poucas pessoas. Pouquíssimas mesmo. O motivo é que as pessoas simplesmente não sabiam das tais apresentações. E aí está o crime.
É inadmissível que se empregue o dinheiro público num evento; que atrações sejam pagas com o dinheiro público ( Papete, Bento Pereira e Boi Barrica são pagos pelo Governo do Estado) e não se dê publicidade do ato. É um crime que a administração do prefeito Zé Alberto não se preocupe em dar transparência dos seus atos nem mesmo quando isso pode ajudar a melhorar a imagem da própria Administração.
A popularidade do prefeito José Alberto não poderia ser das piores. Isso não é novidade. Aqui e ali acertam em algo. Nesse caso acertaram. Mas esconderam as atrações. O que é um absurdo.
Ouvi a preocupação de alguns pelo fato do secretário de Cultura não estar presente no arraial. Foi visto na noite de ontem, depois de ter sido censurado pelo Prefeito. Mas isso não é o mais importante, afinal o Secretário não é apreciador desse tipo de manifestação cultural e isso temos dito há tempos. Fora isso, é proprietário de uma casa de diversão que exige a sua presença. Resta a missão da parte operacional para o secretário adjunto Jailson.
Isso não é o mais importante. O xis da questão é mesmo a demonstração, mais uma vez, da falta de competência da equipe do prefeito José Alberto. Equipe é coletivo. Se cada um fizer a sua parte, a coisa funciona de forma satisfatória.
Até as pessoas que foram ao Centro Cultural da cidade, na noite de terça e de quarta-feira estavam insatisfeitas. Foram às pressas, pegas de surpresa, ver boas atrações. Com muitos amigos que conversamos, até com alguns colaboradores da Administração, diziam ter sabido por acaso, na última hora.
Deve ser uma tentativa de matar a cultura maranhense e fazer com que prevaleça a cultura do gosto por bandas de forró ou axé de nomes exóticos com uma ‘calcinha’ no meio. Algumas pessoas chegaram até a cogitar que seja uma tentativa de matar a própria Administração, desgastada ao ponto de não empolgar nem aqueles que tem por obrigação mostrá-la como algo eficiente.

Do Blog do Louremar

1 comentários:

  1. NOSSA CIDADE PRECISA DE LIBERDADE...FORA ZE ALBERTO ..FORAAAAA

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais