quarta-feira, 4 de junho de 2014

Sonegação fiscal de R$ 42 milhões coloca Edinho Lobão na mira do STF

Pré-candidato do consórcio Lobão/Sarney garfou soma milionária ao colocar o nome de uma empregada doméstica como sócia de sua antiga empresa


Por Yuri Almeida |

Investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, em 2009, por participação num esquema milionário de sonegação fiscal, o senador gazeteiro sem votos e ainda pré-candidato ao governo estadual pelo consórcio Lobão/Sarney, Edison Lobão Filho, o Edinho ‘Trinta’ (PMDB), tem seu nome arrolado como réu num inquérito que está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF), desde o início de 2013, por conta do foro privilegiado que ganhou de presente do pai, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.
Calhamaço de 35 páginas resultante de oito meses em que a polícia fluminense seguiu, filmou e grampeou Edinho e seu comparsa no esquema, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB/RJ), um relatório recheado de conversas comprometedores e encontros em viagens e shows comprova que a dupla garfou cerca de R$ 42 milhões, sonegados à Receita Federal.
Além do pré-candidato dos Clãs do Maranhão e de Cunha, o empresário Ricardo Magro, dono da Refinaria de Manguinhos, na Zona Norte carioca, e já envolvido em outros escândalos, também abocanhou parte do dinheiro.
De acordo com inquérito analisado pelo STF, Edinho meteu no bolso R$ 42 milhões sonegados ao Fisco.
É LOBÃO De acordo com inquérito analisado pelo STF, Edinho meteu no bolso R$ 42 milhões
 sonegados ao Fisco. Foto: Agência Senado

A participação de Edinho no esquema altamente milionário se deu por ser ele dono, na época, da empresa Bemar Distribuidora, que funcionava no mesmo endereço que outra envolvida na investigação, a Itumar Distribuidora, mantinha no município maranhense de Bacabal, interior do Maranhão. Até hoje, segundo apurou o Atual7, há suspeitas de que o senador gazeteiro seja sócio oculto da Itumar, o que ele nega de pés juntos e dedos cruzados.
Além da Polícia Civil do Rio, o Ministério Público do Maranhão e a Receita Federal também investigaram a sonegação dos R$ 42 milhões. Foi descoberto que, para livrar-se do Fisco, o ainda pré-candidato do PMDB ao Governo do Maranhão teria colocado o nome de uma empregada doméstica – Maria Lúcia Martins – como sócia da Bemar.
Se condenado pelo Pleno do STF, além de parar na cadeia – se não houver mais recursos, deve ir direto para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas -, Edinho Lobão será automaticamente enquadrado na Lei da Ficha Limpa, além de ter seu mandato de senador sem votos cassado.
Sobre a última – e real – possibilidade, o Atual7 tentou ouvir por telefone, durante a tarde dessa terça-feira (2), o filho do ministro de Minas e Energia, mas até o fechamento desta reportagem, Edinho não havia retornado as ligações nem a mensagem deixada em seu celular.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais