edinho-lobao

Jornalistas, radialistas e blogueiros maranhenses estarão reunidos na próxima sexta-feira, às 10 horas, na sala do Comitê de Imprensa da Assembléia Legislativa, para lançar um manifesto contra a tentativa do candidato Edinho Lobão de impor censura à imprensa através de processos sistemáticos na Justiça Eleitoral.
Até onde se tem conhecimento foram processados até agora o radialista Gilberto Lima (duas vezes) Blog Marrapá (três vezes) JM Cunha Santos (duas vezes) o radialista Ivson Lima, os jornalistas Raimundo Garrone e John Cutrim. Nos processos, além de obrigar jornalistas e blogueiros a retirarem matérias dos sites e blogues e radialistas a não repetirem comentários e até a evitar participação de ouvintes, Edinho Lobão tenta impor multa de R$ 25 mil com base numa excrescência jurídica chamada “propaganda política antecipada negativa”.
“São tantos os processos que resta claro o propósito de inibir o exercício legal da profissão, impor censura a profissionais de imprensa e internautas, além de impedir a participação popular em programas de rádio AM”, disse JM Cunha Santos.
Os jornalistas, com base, inclusive, em Parecer do Ministério Público Eleitoral que considerou a condenação de Edinho Lobão pela Justiça Federal a 1 ano e 4 meses de prisão matéria de interesse público, conforme decisão prolatada no processo contra o jornalista Raimundo Garrone, pretendem apresentar denúncia formal à Federação Nacional de Jornalistas, Associação Brasileira de Imprensa, Senado Federal e Câmara Federal, entre outras instituições do país. No Maranhão, será dado conhecimento dessa intentona contra os comunicadores do Estado à Assembléia Legislativa, Ordem dos Advogados do Brasil e Procuradoria Geral da Justiça.
Como tem foro privilegiado pelo cargo de senador que herdou do pai, a sanha de Edinho Lobão contra a imprensa do Estado será argüida no Supremo Tribunal Federal. Ao STF será dado conhecimento, inclusive, da ameaça velada com “um outro tipo de Justiça” feita na entrevista concedida ao blogueiro Luis Pablo.
Todo jornalista, radialista, blogueiro, titulares de sites e portais poderão assinar o manifesto, independente de já terem sido processados ou não.
O Sindicato de Jornalistas Profissionais do Maranhão, conforme contato já mantido com o presidente Douglas Cunha, se encarregará de encaminhar a denúncia e o teor do manifesto às representações nacionais dos jornalistas – FENAJ e Associação Brasileira de Imprensa etc.