coronel-francisco-meloA prisão do coronel Francisco Melo, um dos líderes do movimento de paralisação dos policiais militares que estão aquartelados no estacionamento da Câmara Municipal de São Luís acirrou os ânimos entre os grevistas.
Em contato com o editor do blog, alguns PMs disseram que ser for necessário, vão até o Comando Geral da PM resgatar o companheiro preso. “Eles são covardes, prenderem o Melo quando ele deu um descuido e estava só. Duvido que eles tivessem coragem de fazer o mesmo se a gente tivesse lá. Deveriam ter vergonha de trair a tropa e ser subservientes à governadora”, disse um PM revoltado. Os grevistas prometem parar a cidade.
Policiais Militares junto com as Forças Sindicais realizam protestos durante toda esta terça-feira. Pela manhã, diversos pontos de São Luís foram fechados, entre os quais a Ponte do São Francisco, que ficou com o trânsito de veículos por horas parado, causando um grande engarrafamento na cidade.
Na noite de segunda-feira (31), os policiais que estão aquartelados ganharam o reforço do vereador Prisco (PSDB), de Salvador. O soldado Prisco comanda a Associação Nacional dos Praças Policiais e Bombeiros (Anaspra), com participação ativa em movimentos de militares em todo o Brasil.
Prisco é um dos maiores líderes de greves de militares do Brasil.
Em Natal, em 2007, ajudou os militares a reivindicarem melhores condições de trabalho. Com o mesmo objetivo, participou de greves em Roraima e Santa Catarina, em 2009. No ano seguinte, defendeu a categoria em Rondônia. Em 2011, participou de movimentos grevistas em três estados: Piauí, Maranhão e Ceará.