As coisas não andam mesmo bem no castelo da oligarquia e a discórdia está rolando solta. A bola da vez é o Senador João Alberto. O mesmo é conhecido por sua fidelidade incondicional e intransigente ao clã dos Sarney, sobretudo ao ex-presidente José Sarney. Entretanto, o senador vem se queixando aos mais próximos de que está sendo seguidamente desprestigiado.

joao-alberto-terraNos últimos dias, dois incidentes deram força a essa especulação. O primeiro ocorreu durante a segunda greve dos policiais militares. É sabido que João Alberto tem forte ligação com a Polícia Militar, ligação essa que vem desde os tempos da Operação Tigre, autorizada quando este era Governador do estado. Homem das antigas, João adora a hierarquia e disciplina militares, seus hinos e desfiles e é a ele que os PM’s recorrem quando tentam algum acordo com o governo ou quando se acham perseguidos. Foi a ele que recorreram durante as duas greves, nesta última porém, pensando estar representando o governo e após ter cedido em algumas reivindicações dos policiais, inclusive assinando, junto com seu pupilo, Deputado Roberto Costa, um documento garantindo a existência do acordo e concedendo anistia aos grevistas, o senador viu-se desprestigiado quando o governo não cumpriu o prazo para o envio da proposta à Assembleia e ainda,
Segundo alguns policiais, os líderes do movimento têm sofrido uma perseguição camuflada, com transferências e processos correndo por baixo dos panos. Roberto Costa desapareceu e o Senador ficou com sua credibilidade arranhada junto aos PM’s.
O último incidente diz respeito à segurança Pública. O senador conseguira emplacar o Coronel Zanoni Porto como Comandante da Polícia Militar depois da exoneração do Coronel Franklin e planejava fazer dele o novo Secretário de Segurança, após o afastamento de Aluísio. Contudo, contrariando o seu desejo, a governadora entregou a importante pasta ao seu maior adversário dentro do grupo, o Secretário de Saúde Ricardo Murad, que passou a administrar os dois maiores orçamentos do estado (qual seria o interesse?).
Agora, na promoção dos Oficiais da PM, o senador João Alberto não consegue emplacar nenhum oficial de seu grupo, com exceção do T. Cel. Eduardo, promovido a Coronel e ainda assim, com a ajuda do Comandante Geral e a condição de que o mesmo se aposente logo em seguida para dar vaga a outro do grupo de Ricardo.
Corre a boca miúda que o próprio coronel Zanoni teria passado a perna em seu padrinho, promovendo apenas os de sua confiança e permitindo que Ricardo Murad promovesse os outros. É…parece que o velho carcará não é mais tão respeitado.