terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Procurado por assaltos a bancos em cinco estados é preso em Goiás

Segundo a polícia, ele é um dos maiores assaltantes de bancos do país.
Além de Goiás, crimes teriam sido cometidos em MG, TO, PA e MA.

Luísa Gomes Do G1 GO

Suspeito de assaltar bancos em cinco estados é preso em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera) 
Fredson é apontado como um dos maiores ladrões
de banco do país (Foto:Reprodução/TV Anhanguera)
 
A Polícia Civil de Goiás prendeu, em Anápolis, a 55 Km de Goiânia, um homem suspeito de ser um dos maiores assaltantes de bancos no país. De acordo com o delegado Alex Vasconcellos, do Grupo Antirroubo a Bancos (GAB), Fredson Guimarães da Silva, de 39 anos, participou de crimes no Pará, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais e Goiás.  Investigado pela polícia goiana desde 2011, ele foi apresentado nesta segunda-feira (17), em Goiânia.
Em depoimento à polícia, Fredson negou as acusações.
O delegado acredita que ele atuava com uma quadrilha. A polícia ainda investiga a localização dos demais integrantes do grupo. “Por eles terem muito dinheiro, a fuga deles para outros estados é muito fácil”, explica. Ainda de acordo com Vasconcellos, o dinheiro também serviu para que o homem comprasse vários documentos falsos.
A prisão foi feita na sexta-feira (14), no Setor Itamaraty, em Anápolis. “No momento da prisão, Fredson apresentou documentação completa, de certidão de nascimento a carteira de trabalho no nome de outra pessoa”, afirma o delegado. A polícia não esclarece como chegou até o suspeito para não atrapalhar as investigações que ainda estão em andamento.
O preso está detido na Delegacia de Investigações Criminais (Deic), em Goiânia, e será encaminhado ao presídio de Anápolis.
Sequestro
O homem é suspeito de integrar um grupo de cinco pessoas que, armadas, invadiram as casas de dois funcionários de um banco de Acreúna, no sudoeste do estado, na terça-feira (11).  Segundo a polícia, os suspeitos obrigaram os bancários a sacar dinheiro direto do cofre da agência para liberar as vítimas. Elas ficaram reféns por cerca de 12 horas.
“As duas famílias dos dois funcionários foram rendidas e mantidas presas até que, no dia seguinte, os dois servidores do banco pudessem ir até a agência retirar o dinheiro exigido pela quadrilha”, explicou o delegado Danilo Fabiano.
Ao receberem o dinheiro, os ladrões liberaram os familiares dos bancários e fugiram pela rodovia. O banco não divulgou o valor retirado do cofre pelos funcionários.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais