terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Polícia Federal realiza paralisação de 48 horas em vários estados

Federação Nacional diz que todos os estados e DF devem aderir à greve.
Funcionários pedem aumento do salário e novos concursos.

Do G1, em São Paulo
Parte dos agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal fazem greve de 48 horas a partir desta terça-feira (25). Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais, profissionais de todos os estados e também do Distrito Federal devem aderir ao movimento que reivindica aumento salarial, estruturação de carreira e novo concurso para mais vagas. Na maioria dos estados, a paralisação é parcial e serviços prestados para a população, como emissão de passaportes, não serão interrompidos.
Procurada pelo G1, a Polícia Federal afirma que não irá se pronunciar sobre a greve. Já o Ministério do Planejamento, através de sua assessoria, afirma que nos dois últimos anos, a categoria não aceitou a proposta de reajuste de 15,8% e não fechou acordo com o governo. A pasta afirma que, neste momento, não há margem financeira e fiscal para fazer o reajuste pedido, pois causaria impacto na folha de pagamento. Mas ressalta que as negociações estão abertas.
Veja como está a situação nos estados:
Elefante inflável usado em manifestação da Polícia Federal em frente ao Ministério da Justiça (Foto: Isabella Formiga/G1) 
Elefante inflável usado em manifestação da Polícia
Federal em frente ao Ministério da Justiça
(Foto: Isabella Formiga/G1)
Distrito Federal

Segundo o Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindipol/DF), cerca de 800 profissionais, divididos entre agentes, escrivães e papiloscopistas, aderiram à greve, totalizando 70% dos profissionais. Porém, mesmo com a greve, o atendimento ao público, como emissão de passaportes, não será afetado.
Minas Gerais
Em Belo Horizonte, 70% dos funcionários da Polícia Federal estão em greve. Uma escala de 30% é mantida para serviços internos. Durante a paralisação, investigações e serviços não agendados serão prejudicados. Já os serviços agendados, como emissão de passaportes e registro de estrangeiros, serão cumpridos, segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado de Minas Gerais (Sinpef/MG), Rodrigo Porto.
Elefante inflável simboliza inquérito policial  (Foto: Divulgação / PF) 
Elefante inflável simboliza inquérito policial
(Foto: Divulgação / PF)
Paraná

De acordo com o Sindicato dos Policiais Federais do Paraná (Sinpef-PR), vários protestos estão programados em várias cidades do estado em apoio à manifestação nacional, que reivindica aumento do efetivo, fim do controle político nas investigações, fim do assédio moral dentro da PF, entre outros. Conforme o presidente do Sinpef-PR, Fernando Vicentini, a ação não deve afetar os serviços essencias para a população.

Pernambuco

Em Caruaru, segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Pernambuco (Sinpef-PE), Marcelo Pires, os funcionários reclamam do sucateamento da polícia, reivindicam reajuste salarial e reconhecimento para a categoria. A emissão de passaporte está sendo realizada com apenas 30% do efetivo, apenas para casos de urgência.

Rio de Janeiro

Agentes da Polícia Federal realizaram um apitaço às 10h, no Aeroporto Internacional do Galeão, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. Segundo o Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro (SSDPF/RJ), a greve não afeta diretamente os serviços prestados à população.

Rio Grande do Sul

De acordo com o Sindicato dos Policiais Federais do Rio Grande do Sul (Sinpef/RS), protesto é feito devido ao descaso do Governo Federal com a categoria. No estado, estão suspensos os serviços de atendimento ao público, como oitivas, porte de arma, atendimento a estrangeiros, controle de empresas de vigilância, bancos e produtos químicos, segundo o sindicato, segundo o Sinpef/RS.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais