quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Roseana e seus parceiros deveriam passar uma temporada na Penitenciária de Pedrinhas

Do site do Ucho Haddad

Face lenhosa – Em qualquer lugar civilizado do planeta, Roseana Sarney, a filha do caudilho, já teria sido despejada da sede do governo do Maranhão, ao passo que o secretário estadual de Segurança Pública, que também responde pela administração penitenciária, estaria preso por conta do tratamento desumano a que são submetidos os detentos que se encontram nas unidades prisionais maranhenses. Como o Maranhão é um feudo comandado por José Sarney e sua horda, nada disso acontecerá e os responsáveis de fato pela onda de violência que tomou conta do Estado permanecerão impunes.

roseana_sarney_30Roseana deveria ser ejetada do Palácio dos Leões, sede do Executivo estadual, não apenas por sua conhecida incompetência, mas por mentir de forma acintosa diante de câmeras e microfones ao tentar justificar o caos que se instalou na mais miserável unidade da federação. A filha de José Sarney disse que a violência local aumentou consideravelmente porque o Maranhão está mais rico, mas quem conhece bem o estado nordestino sabe que o discurso da governadora foi eivado de falácia sem precedentes.
Nas muitas ocasiões em que o ucho.info afirmou ser o Maranhão o triste palco da versão brasileira do Apartheid, regime segregacionista introduzido no País pelo acadêmico (sic) José Sarney, os atuais ocupantes do Palácio dos Leões se revoltaram e partiram para a intimidação. Roseana usou os veículos de comunicação da “famiglia” para produzir matérias contra o editor do site, mas permanece intacta a nossa opinião sobre o desastre promovido pelo clã no Maranhão em cinco décadas de hegemonia política. E que a governadora não repita o mesmo erro, pois aqui neste noticioso não se tergiversa e muito menos se faz matérias de encomenda.
As denúncias feitas pelo ucho.info ao longo dos anos foi confirmada pelo Jornal Nacional na edição de quarta-feira (15). A matéria do telejornal da Rede Globo, que tem no guarda-chuva de afiliadas o grupo de comunicação da “famiglia” Sarney, mostrou a dura realidade do Maranhão. Basta circular pela capital São Luís para se deparar com as mazelas produzidas pelos Sarney. Qualquer viagem para fora dos perímetros da capital permite constatar a forma hedionda como o grupo político liderado por José Sarney governa o Maranhão.
Roseana Sarney pode até mentir quando alega que o Maranhão está mais rico, mas essa riqueza estatística, como sempre afirmamos, está concentrada nas mãos de poucos, sempre os mesmos. Enquanto muitos maranhenses vivem em meio ao esgoto e aos detritos que produzem, sem qualquer possibilidade concreta de saneamento básico, o clã Sarney se refestela em mordomias, algumas das quais custeadas pelo suado dinheiro do contribuinte.
maranhao_05-jn
A disparidade social que grassa no Maranhão é tamanha, que um rico empresário e leitor do ucho.info, acostumado às mais requintadas benesses patrocinadas pelo capitalismo, revelou ao editor ter ficado impressionado com o luxo da festa de casamento da filha do empresário Fernando Sarney, irmão da governadora que fã da mitomania. “Foi a festa mais chique que fui ao longo da vida”, disse o empresário e leitor. À volta do local onde aconteceu o regabofe milionário de Fernando Sarney, um reduto abriga a miséria e os muitos descasos das autoridades.
Para que o leitor entenda a ação nefasta da “famiglia” Sarney, o Maranhão é o estado brasileiro em que morrem mais crianças. Isso porque ao invés de se preocupar em melhorar as condições de vida de um povo sofrido e vilipendiado em seus mais básicos direitos, Roseana só tem olhos para as compras que sempre recheiam a despensa da sede do governo, com direito a lagosta, carne de caranguejo, caviar, whisky, champagne e outras iguarias finas e caras. Enquanto degusta as iguarias financiadas pelos pobres maranhenses, a filha do caudilho José Sarney contempla no horizonte a vista privilegiada que proporcionam as muitas janelas do Palácio dos Leões (foto abaixo).
Roseana Sarney foi procurada pela equipe de repórteres do Jornal Nacional para falar sobre a tragédia que se tornou o Maranhão, mas covarde não respondeu aos muitos chamados, destacando o secretário de Desenvolvimento Social, Fernando Fialho, desse as explicações. Fialho, que parece usar as pílulas de mitomania da governadora, não se incomodou em destilar um punhado de mentiras diante das câmeras.
O Maranhão parou no tempo e não pode esperar mais um segundo sequer para virar o jogo covarde e degradante que a “famiglia” Sarney impõe aos seus tutelados. Quem circula pelo mais pobre estado brasileiro não demora a concluir que o Complexo Penitenciário de Pedrinhas deveria ser o endereço permanente dessa quadrilha com mandato.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais