segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Presidente da Comissão de Segurança vistoria Unidade Prisional de Bacabal após rebelião

 Deputado Roberto Costa e o secretário-adjunto de Justiça e Administração Penitenciária, Kécio Rabelo, vistoriam Unidade Prisional de Ressocialização de Bacabal

 O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Roberto Costa (PMDB), esteve na manhã do último sábado (09), na Unidade Prisional de Ressocialização de Bacabal, juntamente com o secretário-adjunto de Justiça e Administração Penitenciária, Kécio Rabelo.

Acompanhados do diretor da Unidade, José de Ribamar Campos, o parlamentar e o secretário-adjunto vistoriaram pavilhões e celas destruídos na rebelião e conversaram com alguns detentos.

“Nós vistoriamos as instalações danificadas durante a rebelião que, de modo geral, visava mesmo a fuga. Foi comprovado que não havia superlotação. A policia já iniciou o trabalho de recapturação dos fugitivos e acreditamos que até o final da semana todos sejam capturados. De acordo com determinação da Governadora Roseana Sarney, as obras de reforma e recuperação das partes danificadas já foram iniciadas e até a próxima quarta-feira devem está finalizadas”, comentou Costa.

Além da recuperação da unidade, novos investimentos estão sendo feitos para melhorar o trabalho dos profissionais que atuam dentro das unidades prisionais do estado. “Estamos investindo em políticas de ressocialização para a massa carcerária, com o objetivo de quebrar o ócio das unidades prisionais e tentando minimizar assim que essas possibilidades de motins, de rebeliões, se propaguem. Recentemente, inauguramos a primeira escola de gestão penitenciária do Maranhão, que é a nossa academia, e a partir de dezembro todos os monitores e o pessoal do quadro efetivo passarão por treinamentos e reciclagens para melhor projeção dos serviços dentro das unidades prisionais”, destacou Kécio Rabelo.

A unidade prisional de Bacabal fica no povoado Piratininga, às margens da BR 316. A estrutura contempla 11 celas, sendo 02 para mulheres. No momento da rebelião o presídio tinha 71 presos. Desses, 24 conseguiram fugir fazendo uma monitora refém e ateando fogo nos colchões das celas. Até o domingo (10), 18 presos já haviam sido recapturados, numa operação conjunta das polícias Militar e Civil, coordenada pelo comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar, Tenente-coronel Egídio, e Dr. Carlos Alessandro, delegado Regional de Polícia Civil da 16º DRP.



2 comentários:

  1. Não era pra volta nem um pro presídio tinha q ir pra vala

    ResponderExcluir
  2. JR essas parede do presídio não tem um pingo d cimento o dinheiro veio pra fazer uma coisa bem feita mas a comandita do Senador CARCARÁ comerão o dinheiro

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais