quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Ficou bonitinho... Mas aí veio a chuva e...

O prefeito de Bacabal, José Alberto Oliveira Veloso, vem dando vem dando redundantes exemplos de inépcia como gestor público. Em 11 meses conseguiu o inédito feito de não agradar a ninguém, nem mesmo ao seu séquito protetor. Os moradores da Rua Maranhão Sobrinho, perímetro compreendido entre as ruas Clores e Miranda e Osvaldo Cruz, estão inclusos no rol dos descontentes. 

O motivo é simples: a anunciada ação de recapeamento asfáltico da cidade tinha a Rua Maranhão Sobrinho em sua meta. O asfalto até passou por lá, mas parou exatamente na Rua Clores Miranda, bem em frente à Praça Firmino Neto. Uma comissão de moradores procurou vereadores “amigos”. Eles saíram de fininho. Individualmente alguns outros moradores conversaram com a nepote secretaria de assistência social Sílvia Veloso, que lhes confessou “está o marido profundamente arrependido de ter entrado para a vida pública e agora descobrir que nada pode fazer pelo povo que pede muito.” 

O resultado disso é que o perímetro em foco continuou cheio de buracos – um deles aberto pelo SAAE . Mesmo com a revelação da desilusão política do neófito alcaide os moradores da Maranhão Sobrinho resolveram insistir. O procuraram na prefeitura. Nunca o encontraram. Souberam que ele tomava café no Lojão da Carne. Ele mudou o local passando a tomar café no Mercado da Vila São João. Foram ao Mercado e o prefeito já havia mudado o café para o Restaurante Popular, mas estava em um período de interstício – só agora o café da manhã pegou de vez. Então resolveram ir à casa do prefeito. Descobriram que ele fecha os portões da sua mansão às 7 horas da noite. 

Então resolveram armar campana na madrugada porque souberam que o prefeito cultiva um antigo hábito adquirido quando ainda era vaqueiro: ir para a fazenda às 5 horas da manhã. Mais uma surpresa. Ao abordarem um dos vigias da mansão descobriram que Veloso havia antecipado o seu horário de fuga para as 4 horas da madrugada, portanto já havia saído. 

Sem esperanças em ver a rua recuperada, se conformaram. Mas eis que na manhã de quarta-feira, 27, tiveram uma hilária surpresa: não é que os funcionários da secretaria municipal de obras e urbanismo apareceram para pintar os meios fios... Todo mundo riu muito e ficou tudo muito bonitinho. E os buracos lá no meio da rua. Para o azar de Veloso no final da tarde caiu uma baita chuva. A rua bonitinha ficou um lameiro só. Os moradores, revoltados, agora ameaçam interditar a rua por tempo indeterminado, priorizando os moldes de protesto que acontecem no sul do país: tocando fogo em pneus.
Do blog do Louremar

2 comentários:

  1. Eu já havia percebido que naquele trecho não tinha recebido o asfalto e no dia da pintura eu fui um dos que passei rindo (pra não chorar). Pior que Bacabal inteiro está assim. Na rua que eu moro (Bairro Santos Dumont) está horrível. Nós moradores já vamos nos mobilizar pra comprarmos cimento pra arrumar a buraqueira que deixaram na rua... Pois agora com as chuvas a cada dia tá pior. Será que iremos ser ressarcidos dos nossos gastos???

    ResponderExcluir
  2. JR divulga esse teu blog no seu programa. Pois mais gente precisa ver esses seus posts. Eu mesmo não sabia desse blog... Descobri por acaso. Agora acesso todos os dias.

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais