segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Emoção marca posse solene da desembargadora Angela Salazar no TJMA

Angela Salazar foi condecorada pelo presidente do TJMA, desembargador Guerreiro Júnior, com Diploma e Medalha do Mérito Judiciário Antônio Rodrigues Vellozo (Foto Ribamar Pinheiro),
Angela Salazar foi condecorada pelo presidente do TJMA, desembargador Guerreiro Júnior, com Diploma e Medalha do Mérito Judiciário Antônio Rodrigues Vellozo (Foto Ribamar Pinheiro),

08NOV201313:30
 
Numa cerimônia marcada pela emoção da homenageada e de seus familiares, a desembargadora Angela Salazar recebeu, nesta sexta-feira (8), o diploma e a Medalha do Mérito Judiciário Antônio Rodrigues Vellozo, a mais alta comenda do Judiciário maranhense, na sala das sessões plenárias do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).
A desembargadora já fora oficialmente empossada no dia 16 de outubro deste ano, dia em que teve acesso ao cargo pelo critério de merecimento, após ficar em primeiro lugar, com 2.155 pontos, em disputa com outros 11 juízes candidatos.
Desde o discurso de saudação feito pelo desembargador Marcelo Carvalho Silva, contando toda a trajetória de vida da nova integrante da Corte, Angela Salazar já se esforçava para conter a emoção. Concluiu seu próprio discurso com a voz embargada e em lágrimas, principalmente ao citar a importância de seus pais, do marido, filhas e outros parentes, sem esquecer-se de mencionar sua fé e agradecimento a Deus e Jesus.

O presidente do TJMA, desembargador Antonio Guerreiro Júnior, desejou à magistrada o “sucesso esplendoroso” que ela sempre obteve na carreira, e destacou o perfil que o Tribunal tem adquirido com a chegada de novos membros.
“É um Tribunal novo, produtivo, com – cada vez mais – a chegada de gente competente, integrando muito mais. Está coeso e harmônico”, disse o presidente, cujo mandato se encerra no dia 20 de dezembro.
Guerreiro Júnior abriu a sessão solene e convidou os desembargadores Maria das Graças Duarte e Kleber Carvalho a acompanharem Angela Salazar até o plenário. Houve execução do hino nacional e, em seguida, o presidente do TJMA entregou à nova magistrada o diploma e a medalha do mérito judiciário.
SAUDAÇÃO - O desembargador Marcelo Carvalho Silva fez o discurso de saudação à nova desembargadora, relembrando sua trajetória pessoal e profissional e enfatizando o profissionalismo, maturidade, proficiência e seriedade que marcam a vida de Ângela Salazar.
“Sua ascensão ao cargo é a coroação de uma história pessoal marcada por lutas, reveses, percalços, superações e principalmente por conquistas, que denotam não se tratar de qualquer pessoa”, ressaltou.
Religiosa, Ângela Salazar iniciou o seu discurso de posse com a leitura do Salmo 145, reverenciando a Jesus Cristo, por tê-la acompanhado e cuidado desde sua concepção, plantando em seu coração o sonho que se concretizou com a promoção ao cargo de desembargadora. Ela também agradeceu ao apoio dos pais, marido, filhas, irmãos e demais familiares.
A magistrada relembrou sua origem de família simples e de rigorosos valores éticos, morais e espirituais, ressaltando que a função que passa a desempenhar exigirá muito mais do que o conhecimento do Direito.
Ela destacou o momento histórico e contraditório vivido pela humanidade, com uma profunda revolução social, o aumento da criminalidade e o crescimento das relações jurídicas e sociais, que exigem medidas eficazes do Judiciário no seu papel de pacificador. “Vejo o Judiciário como um dos poderes apto a resgatar a cidadania de um povo, efetivar-lhe os direitos e dar-lhes garantias”, opinou.
A nova desembargadora falou do acesso à Justiça enquanto um direito amplo, que não deve se limitar apenas ao ingresso em juízo, mas no sentido de acesso a uma ordem jurídica justa, imprescindível ao exercício da cidadania e à própria dignidade do indivíduo. “Está vinculado à ideia de celeridade, qualidade das decisões, garantias constitucionais, superação de obstáculos, estruturais, equidade, efetividade, humanização, enfim, democratização da Justiça”, avaliou.

O presidente Guerreiro Júnior agradeceu a todos ao encerrar a sessão. Compuseram a mesa o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Arnaldo Melo; o corregedor-geral do Ministério Público estadual, procurador de justiça Suvamy Vivekananda Meireles; o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Edmar Serra Cutrim; o procurador-geral do município de São Luís, Marcos Luís Braid Simões; e o vice-presidente da OAB/MA, no exercício da presidência, Valdênio Caminha.
PERFIL– Angela Maria Moraes Salazar nasceu em São Luís Gonzaga do Maranhão, no dia 26 de novembro de 1957, filha de Benedito Salazar e de Maria da Conceição Moraes Salazar.
A nova desembargadora é casada com o advogado e procurador do Estado Carlos Santana Lopes. Tem duas filhas: Ana Carla, advogada, e Ana Caroline, graduanda em Nutrição.
Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Maranhão, em dezembro de 1980. Três anos depois concluiu o curso de Serviço Social, também pela UFMA.
Tem pós-graduação – MBA em Poder Judiciário – pela Fundação Getúlio Vargas, e em Ciências Criminais, pelo Centro Universitário do Maranhão (Uniceuma).
Exerceu a atividade de delegada de polícia, concursada, em 1982 e 1983, quando foi aprovada no concurso para promotora de justiça, cargo que ocupou até 1986 no Ministério Público estadual.
Ainda em 1986, foi aprovada e nomeada, em 4 de dezembro, juíza de direito. Tomou posse como titular da comarca de Vitória do Mearim. Atuou na comarca de Barra do Corda (1991-1992) e participou da implantação da comarca de Açailândia, tornando-se a primeira juíza e diretora do Fórum, em 1992. No ano seguinte obteve remoção para a comarca de Pedreiras.
Foi promovida à comarca de São Luís em 1996, como juíza auxiliar da 1ª Vara da Infância e da Juventude, acumulando também a mesma atribuição na 2ª Vara de mesma especialização.
Trabalhou ainda no 1º Juizado Criminal da capital e foi juíza auxiliar da Corregedoria Geral da Justiça por dois biênios, de 2002 a 2005.
Implantou, em dezembro de 2005, a 11ª Vara Criminal de São Luís, com competência para processar e julgar crimes contra crianças e adolescentes.
Foi coordenadora do Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais do TJMA em 2006 e 2007, e retornou para a 11ª Vara Criminal, onde permaneceu até novembro de 2008, quando obteve remoção para a 5ª Vara da Família, até ser eleita desembargadora.
 
Assessoria de Comunicação do TJMA

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais