segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Presidente da Comissão de Segurança vistoria Complexo Penitenciário de Pedrinhas após rebelião

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Roberto Costa (PMDB), esteve na tarde desta quinta-feira (10), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, juntamente com o secretário adjunto de Justiça e Administração Penitenciária, Kécio Rabelo.

Na oportunidade, o parlamentar e o secretário adjunto vistoriaram todos os pavilhões do Complexo, inclusive os que foram destruídos na rebelião que ocorreu na última quarta-feira (9).

Além da vistoria, Roberto Costa e Kécio Rabelo conversaram com os detentos e familiares acerca da rebelião. “Nós vistoriamos todas as instalações do Complexo Penitenciário e pudemos observar que está tudo controlado. A rebelião, de acordo com os próprios detentos que se intitulam de ‘facções’, ocorreu por rivalidade entre grupos. Eles próprios relataram isso, que a rebelião aconteceu por vingança. Nós vimos também um túnel que foi descoberto pelo serviço de inteligência, de cerca de seis metros de profundidade, que serviria de ponto de fuga para muitos presos. Quando eles foram descobertos e deslocados, isso também causou tumulto.”, afirmou Costa.

O parlamentar também falou das instalações e condições de segurança do presídio. “Os detentos fizeram algumas reclamações acerca das instalações, que inclusive já estão sendo encaminhadas pela SEJAP. Os colchões que foram queimados na rebelião já estão sendo substituídos por outros novos. De acordo com uma determinação da Governadora, o Complexo já está sendo todo reestruturado e recuperado, e a determinação dela é que isso seja feito de uma forma imediata, como eu pude presenciar”, afirmou.

A respeito de um suposto clima de insegurança, o deputado Roberto Costa esclareceu que a situação está controlada. “Em Pedrinhas, o que pude observar é que tudo está controlado. Os detentos estão acomodados provisoriamente em outros pavilhões, enquanto é feita a reestruturação do que foi destruído, e o policiamento é ostensivo. Em momento algum, as facções chegaram ameaçar ou comentar a respeito de alguma onda de assalto ou represálias contra a população de São Luís. O que em todos os momentos eles deixaram bem claro é que existe uma rivalidade entre eles, que está controlada dentro do presídio”, finalizou o parlamentou.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais