sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Garimpeiros reivindicam divisão dos lucros do ouro em Serra Pelada

Grupo de 2 mil pessoas está acampado no local.
No último domingo, 22, houve confronto entre os manifestantes e a PM.

Do G1 PA
Em Serra Pelada, na região sudeste do Pará, garimpeiros estão acampados próximos às instalações da empresa que vai explorar a mina de ouro da localidade, de forma mecanizada. O grupo quer a divisão igual dos lucros com a venda do ouro quando a mina estiver produzindo. No último domingo (22), houve confronto entre manifestantes e a polícia. Homens da Tropa de Choque de Polícia Militar estão no local.
Cerca de 2 mil manifestantes permanecem acampados próximo as instalações da mineradora. “Nós estamos aqui buscando os nossos direitos, reivindicando aquilo que foi nos tirado na marra por um grupo de pessoas da empresa canadense para roubar o garimpeiro. Isso nós não admitimos”, conta o garimpeiro Vanderci da Silva.
Um contrato entre a mineradora Colossus e a cooperativa que representa mais de 30 mil garimpeiros em todo o Brasil, prevê que quando a mina estiver produzindo os garimpeiros, fiquem com 25% dos lucros e a empresa com 75%.
A representante da mineradora Colossus, Paula Mayumi, alega que os manifestantes não pertenceriam a Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp). “É importante frisar que a justiça paraense não reconhece essas lideranças como representantes da diretoria da Coomigasp, e a empresa adotou a postura de que sob coação não vai haver negociação”, explica a representante da mineradora.
Por causa das manifestações, as atividades na mina estão funcionando parcialmente e a empresa já calcula prejuízos. “O impacto financeiro que nós podemos mensurar agora é de, no mínimo, R$ 250 mil por dia de atividade parada, com as atividades mantidas apenas para garantir o bombeamento da mina”, explica Paula Mayumi. Os garimpeiros exigem que tanto o governo do estado quanto o federal se manifestem diante da situação.
Confronto
Enquanto o empasse continua, 40 homens da tropa de choque da PM permanecem na área para evitar novos conflitos. No confronto de domingo (22) entre manifestantes e a PM, um homem teria ficado ferido por bala de borracha e socorrido por outros garimpeiros.
O homem ainda estaria caído no chão quando o grupamento da PM jogou uma bomba de efeito moral próximo ao grupo que o socorria. A confusão durou cerca de 20 minutos e terminou com pelo menos 25 pessoas feridas.
Os garimpeiros que chegaram em Serra Pelada no último domingo (22) para participar de uma assembleia. Depois de saírem em marcha foi que a confusão teria começado.
A Polícia Militar informou que ouve reação porque os manifestantes tentaram invadir as instalações da empresa que vai explorar a mina de ouro. O comandante da PM em Parauapebas, Mauro Sergio, disse que acompanhou toda a ação no domingo e que os policiais utilizaram armas não letais como forma de evitar um confronto. Ele garantiu ainda que os policiais agiram de forma correta.

1 comentários:

  1. TE SEGURA LOBÃO, OU LOBINHO ! ESTÃO QUERENDO GANHAR NA MARRA A MAIOR FATIA DO OURO DE SERRA PELADA, ATRAVÉS DA EMPRESA DE FACHADA CRIADA POR VOCES NO CANADÁ(conforme reportagem à época do jornal folha de são paulo), 3 MESES ANTES DE ABOCANHAREM SERRA PELADA. MAS, AGORA VERÃO A FORÇA DOS GARIMPEIROS UNIDOS...

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais