terça-feira, 21 de maio de 2013

Pastor Marcos será indiciado por coagir testemunhas, diz delegado

O pastor, com o uniforme da prisão
O pastor, com o uniforme da prisão Foto: Secretaria estadual de Administração Penitenciária / Divulgação
O pastor Marcos Pereira será indiciado por coação de duas vítimas do inquérito em que é investigado por estupro. A informação é do delegado Delmir Gouvêa, titular da 64ª DP (São João de Meriti), que enviará o inquérito ainda nesta terça-feira ao Ministério Público. Além do religioso, que está preso preventivamente pelo estupro de duas fiéis, serão indiciados seu filho, Felipe Pereira; e dois funcionários da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, igreja fundada pelo pastor.
Durante as investigações, as duas vítimas - um casal que havia parado de freqüentar a igreja por conta dos supostos abusos sexuais sofridos pela mulher - relataram em depoimento que, no dia em que foram depor na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), em março do ano passado, cinco pessoas, entre elas o filho do pastor, foram à casa delas. Do lado de fora do portão, os acusados teriam gritado: "Cuidado com o que vocês estão falando do ungido", se referindo ao pastor. Os acusados negam que foram fazer ameaças ao casal e afirmam que foram à casa porque já haviam marcado encontro. Em depoimento na prisão, o pastor negou que soubesse do encontro.
- O encontro aconteceu e, por mais que negue em depoimento, o pastor tinha conhecimento do que acontecia. As investigações mostram que ele, se não ordenou, teve influência nas ameaças - diz Delmir Gouvêa. Pelo crime, cada acusado pode pegar de um a quatro anos de prisão.
O pastor Rogério Menezes e outras duas testemunhas no inquérito que investiga os supostos estupros foram à 64ª DP para registrar ocorrência contra o irmão do pastor, Allan, por injúria. Nesta segunda, Allan postou em seu perfil no Facebook fotos das testemunhas acompanhadas do texto: "Será que o pastor Marcos teria coragem de pecar com esses dragões?". A frase referia-se à foto das testemunhas. A postagem foi apagada horas depois após o delegado Márcio Mendonça, da Dcod, contra Allan pelo mesmo motivo.
Allan pode pegar de um a seis meses de prisão para cada acusação de injúria.

Prisão na Dutra

O pastor Marcos foi preso na noite do dia 7 deste mês por policiais da Dcod. Ele passava em um de seus carros, um Passat, pela Rodovia Presidente Dutra, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, quando foi abordado. Contra o religioso, havia dois mandados de prisão com base em acusações de estupro de fiéis de sua igreja.

1 comentários:

  1. em quem confiar senhor,,estamos perdido num mundo de pessoas ou falsos profetas,,,

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais