segunda-feira, 6 de maio de 2013

Acusado de atirar em menina que morreu defendendo o pai se entrega em Goiás

Atualizado:

Kerolly foi baleada na cabeça e teve morte cerebral
Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Kerolly foi baleada na cabeça e teve morte cerebral Reprodução/TV Anhanguera
SÃO PAULO - Foi preso no início da noite desta segunda-feira, em Aparecida de Goiânia, o comerciante George Araújo, acusado de atirar e matar a menina Kerolly Alves Lopes, de 11 anos. A garota tentou defender o pai durante uma briga em uma pizzaria da cidade, no fim do mês passado. O acusado, que se entregou acompanhado de um advogado, fez exame de corpo de delito e vai passar a noite na Delegacia de Homicídios de Goiânia. Ele será apresentado à imprensa amanhã, na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia.
Na manhã desta segunda-feira, a equipe médica do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) confirmou a morte cerebral da menina. Kerolly continua ligada a aparelhos, que mantêm sua respiração e os batimentos cardíacos. Ela está na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) desde o dia 27, quando foi atingida por dois disparos. A bala atravessou a cabeça, segundo os médicos. Seu estado de saúde era considerado gravíssimo e ela tinha apenas 10% de chances de sobrevivência devido à lesão causada pelo ferimento.
O crime aconteceu depois que o pai, o serralheiro Sinomar Lopes, discutiu com George Araújo de Souza, dono de uma pizzaria. Imagens de câmeras de segurança mostram que as irmãs Kerolly e Pérola Alves Lopes, de 14 anos, abraçaram o pai quando viram a arma apontada para ele. Foram disparados três tiros, sendo que dois atingiram a perna e a cabeça de Kerolly.
O dono da pizzaria teve a prisão preventiva decretada no dia 30 de abril. Ele chegou a prestar depoimento em uma delegacia e alegou ter disparado em legítima defesa, mas foi liberado pela polícia.
Em entrevista ao Fantástico neste domingo, o pai de Kerolly declarou que se sentia culpado.
- Hoje eu queria estar no lugar dela. Queria! Eu queria ser naquela hora lá. Porque o pai mesmo é pai e herói do filho, né? Eu estou sentindo no meu coração que, naquela hora, eu não fui ninguém. Uma culpa imensa vendo aquela menina lá - disse ao Fantástico.

4 comentários:

  1. essas nossas leis etem que existir mudanças...chega de tanta violencia e esses politico so pegando nosso dinheiro..gente vamos mudar isso estar na hora...

    ResponderExcluir
  2. KEROLLY EU TENHO CERTEZA QUE JESUS TE RECEBEU DE BRAÇOS ABERTOS,PORQUE VC É UM ANJO.PRINCIPALMENTE POR VC TER DADO SUA VIDA PRA SALVAR TEU PAI.

    ResponderExcluir
  3. Quem reside no bairro onde ocorreu o crime conhece bem os dois e sabe da índole do pai da menina, encrenqueiro, metido a machão e cheio de ameaçar os outros. Não foi a primeira vez, mas foi a última, que as filhas livraram o pai de um bate-boca. Esse crime teve duas vítimas: O pizzaiolo e a menina Kerolly. Antes de apontarem o dedo pra um ou para outro conheçam os dois lados da história. O trabalhador que puxou o gatilho destruiu a própria vida, o vagabundo que procura confusão e se acha no direito de ameaçar a todos virou santinho e a pobre menina... bem... esta nunca saberemos o que seria, mas se tornou um anjo.

    ResponderExcluir
  4. As pessoas vivem hj num stress tão absurdo,é no transito, estabelecimentos comerciais, restaurantes, o cara provocou a morte da própria filha porque não soube esperar por uma pizza,que segundo ele estava demorando. Não sabe esperar, não saia de casa!!! ou se sair procure o máximo de cautela porque uma ação irresponsável pode colocar vidas apuros. Há um ditado q diz que quando dois não querem um não briga, portanto sejamos pacientes, racionais, e vamos valorizar mais a vida!!! Quantas vidas já foram ceifadas porque coisas tão banais uma pizza não pode ser mais importante do que eu e vc.

    ResponderExcluir

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais