quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

'Morte de testemunha do caso Décio Sá prejudica depoimento'

São Luís / Agiotagem
A afirmação foi feita pelo secretário-adjunto da SSP-MA, Laércio Costa.
Imirante.com

Foto: Divulgação /SSP-MA
 
SÃO LUÍS - Ricardo Santos Silva, conhecido como Ricardinho ou Carioca, de 35 anos, que morreu na madrugada desta quarta-feira (13), no hospital Carlos Macieira, era uma das principais testemunhas envolvidas na morte do jornalista e blogueiro Décio Sá. Em entrevista ao O Estado do Maranhão, o secretário-adjunto da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) afirmou que a morte de Ricardinho foi um grande prejuízo as investigações sobre a morte do jornalista. Para o secretário, o depoimento dele seria importante para esclarecer detalhes que a polícia precisa para dar mais consistência ao inquérito. "Ele sabia de muita coisa, era uma espécie de 'arquivo vivo', principalmente, por também ser um criminoso. Por isso, sua morte foi encomendada", concluiu secretário.
Ricardo Santos Silva foi uma das 55 testemunhas arroladas no processo que apura a morte do jornalista Décio Sá, convocadas para as audiências de instrução, que deveriam ter ocorrido entre os dias 28 e 31 de janeiro, no Salão do Júri, no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau. As oitivas, porém, foram suspensas por uma liminar já cassada a pedido do Ministério Público, assinada pelo desembargador do Tribunal de Justiça, Raimundo Nonato de Souza.
Atentado
Com várias passagens pela Polícia Civil do Maranhão, e até no Rio de Janeiro, onde chegou a ser preso por ordem da Justiça por suspeita de participação em crimes de homicídios e assaltos na cidade de Duque de Caxias, Ricardo Santos Silva, uma das principais testemunhas arroladas no assassinato do jornalista Décio Sá, foi cercado por um grupo de homens armados quando trafegava pela avenida General Arthur Carvalho, próximo ao Motel Le Baron, no dia 4 de janeiro deste ano, em seu veículo Toyota Corolla azul (NNF-8653). Segundo a polícia, dois homens que estavam em uma moto preta efetuaram os disparos.
Ricardinho foi alvejado com sete tiros de pistola calibre 380, que lhe atingiram os braços, abdômen e pernas. Ainda de acordo com a polícia judiciária, ele era suspeito de comandar algumas das mais movimentadas casas de bingos, instaladas na região metropolitana de São Luís e, consequentemente, de financiar a produção de máquinas caça-níqueis, negócio ilícito que, por sua vez, sustenta o crime de contravenção penal e grande motivador de crimes de encomenda.
A morte de Ricardo Santos Silva foi divulgada pelo Imirante.com, na tarde desta quarta-feira (13), após informação da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA).

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites Mais